Serviço especializado irá ajudar na prevenção e no tratamento da hipertensão

Centro de cardiologia; Nefrologia e Diálise
Fonte: Dr. Roberto Kalil Filho, diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês; e dra. Juliana Gil de Moraes, médica cardiologista do Serviço de Hipertensão Arterial do Centro de Cardiologia do Sírio-Libanês.
Publicado em 20/04/2017

A hipertensão, ou pressão alta, é a doença crônica cardiovascular mais comum entre os brasileiros com aumento de sua prevalência em todo o mundo. Segundo estimativas da Sociedade Brasileira de Cardiologia, mais de 35,5 milhões de pessoas têm hipertensão. A pressão arterial considerada ideal situa-se abaixo de 120 x 80 mmHg (12 por 8). Já a hipertensão se refere à presença da pressão arterial igual ou superior a 140 x 90 mmHg (14 por 9).

Mas apesar de ser tão frequente e potencialmente grave, apenas 20% dos pacientes hipertensos em tratamento medicamentoso apresentam valores da pressão arterial dentro dos valores considerados ideais.

Talk-show com Gilberto Gil

Paciente do Hospital Sírio-Libanês, o cantor e compositor Gilberto Gil será o "embaixador" da campanha de combate à hipertensão arterial, idealizada pelo Hospital Sírio-Libanês este ano.

O músico participará de um talk-show, que será realizado no dia 20 de abril, às 11h, no Anfiteatro do Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa (IEP).

O evento terá entrada gratuita e será transmitido ao vivo pela página do Hospital Sírio-Libanês no Facebook com a participação dos internautas, que poderão enviar mensagens com suas dúvidas sobre essa doença.

Além de Gil, o debate contará com a participação das médicas Roberta Saretta, Fernanda Consolim, Juliana Gil de Moraes e Rosa Maria Affonso Moyses e da nutricionista Junia Bolognesi.

Endereço: Rua Prof. Daher Cutait, 69 (IEP).
Horário: Das 11h às 13h.

Essa dificuldade em controlar a pressão arterial é um dos destaques do talk-show que será realizado pelo Hospital Sírio-Libanês no próximo dia 20 de abril (veja ao lado). O evento fará alusão ao Dia Nacional de Prevenção e Combate à Hipertensão Arterial, celebrado em 26 de abril.

Com base nos dados do Ministério da Saúde, o prof. dr. Roberto Kalil Filho, diretor do Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês, lembra que a pressão alta é responsável por 50% dos casos de infarto, 80% dos acidentes vasculares cerebrais (AVCs) e 25% dos casos de insuficiência renal no Brasil. "A necessidade de alertar a população a respeito da importância do diagnóstico precoce e do tratamento adequado contra essa doença é urgente", enfatiza o médico.

Quando a pressão arterial ultrapassa os limites considerados normais, as paredes das artérias são submetidas a um estresse. Com o passar dos anos, isso pode aumentar a espessura das artérias do coração, levando ao infarto; as artérias do cérebro, provocando o AVC; e as artérias dos rins, causando insuficiência renal.

Como a hipertensão se desenvolve?

A pressão alta pode ter como causa a herança genética, o que é conhecido como hipertensão primária. Ela também pode ser desencadeada devido ao estilo de vida pouco saudável, como alimentação rica em sal e consumo de bebidas alcoólicas em excesso, obesidade, sedentarismo e idade avançada.

A hipertensão, no entanto, também pode ser secundária, quando se desenvolve a partir de doenças renais, como glomerulonefrite (tipo de inflamação nos rins), estenose da artéria renal (estreitamento dos vasos dos rins); doenças na tireoide; apneia do sono, entre outras.

No Brasil, a hipertensão arterial é mais prevalente nos afrodescendentes. Uma das possíveis explicações para isso é a genética. Acredita-se que durante a vinda dos escravos para o Brasil, a maioria dos que sobreviveram a travessia apresentava uma resposta adaptativa para retenção de sódio e água em seus corpos, permitindo reagir às diarreias e à desidratação durante as longas viagens dentro dos navios.

Novo serviço contra a hipertensão arterial

Para ajudar na prevenção, no diagnóstico e no tratamento dos mais variados tipos de hipertensão, o Centro de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês lançará no dia 20 de abril um novo programa de atendimento. Trata-se do Serviço de Hipertensão Arterial.

Esse novo serviço irá atender homens e mulheres de todas as faixas etárias. No entanto, segundo explica a dra. Juliana Gil de Moraes, médica cardiologista e integrante desse serviço, o atendimento será focado em pacientes nas seguintes condições:

  • Jovens com tendência a desenvolver hipertensão
    Segundo estudo da Universidade da Carolina do Norte, em Chapel Hill, nos Estados Unidos, aproximadamente 20% dos jovens entre 24 e 32 anos têm hipertensão arterial - e metade deles não sabe disso. No Brasil, alguns dados também sugerem haver crescimento da população de hipertensos, quando avaliada a faixa da população com menos de 35 anos. Entre os fatores possivelmente associados a esse cenário estão hereditariedade, hábitos alimentares inadequados, consumo excessivo de álcool, sedentarismo e obesidade.

  • Pessoas com hipertensão de difícil controle (hipertensão resistente)
    Estima-se que entre 12% e 15% do total dos pacientes hipertensos brasileiros poderão apresentar quadros mais graves, denominados hipertensão de difícil controle, ou seja, quando não há resposta ao tratamento, mesmo após o uso de três medicamentos diferentes.

    Nos pacientes que ainda não desenvolveram a doença, o novo Serviço de Hipertensão Arterial do Hospital Sírio-Libanês irá oferecer um programa que visa promover um estilo de vida mais saudável, informa a dra. Juliana. "Focaremos nos filhos de pais hipertensos e em jovens obesos e sedentários", comenta a médica.

    Já para aqueles com hipertensão de difícil controle, médicos cardiologistas e nefrologistas irão trabalhar conjuntamente buscando ajustes nas medicações e cuidados específicos para proteger os diferentes órgãos que possam ser afetados pela pressão alta. "Cada paciente tem um tipo de hipertensão e o nosso objetivo é oferecer cuidados individualizados, de acordo com as necessidades de cada um", explica a dra. Juliana.

    Além da abordagem clínica, o novo serviço de hipertensão arterial tem por objetivo investigar as potenciais causas dos quadros mais graves e desenvolver linhas de pesquisa que proporcionem avanço nas opções de terapia hoje existentes.

    Em países como Canadá e Finlândia, que desenvolveram programas específicos de prevenção e controle da hipertensão arterial, a taxa de controle da doença atingiu 70% e foi associada a significativa redução da mortalidade por doenças cardiovasculares.

Previna-se da hipertensão arterial

O Departamento de Hipertensão Arterial da Sociedade Brasileira de Cardiologia criou os dez mandamentos contra a pressão arterial. Veja abaixo quais são e aproveite para se prevenir:

  1. Meça a pressão pelo menos uma vez por ano.
  2. Pratique atividade física todos os dias.
  3. Mantenha o peso ideal, evite a obesidade.
  4. Adote uma alimentação saudável: pouco sal, sem frituras e mais frutas, verduras e legumes.
  5. Reduza o consumo de álcool. Se possível, não beba.
  6. Fique longe do cigarro.
  7. Nunca abandone o tratamento para a hipertensão. Uma vez diagnosticado como hipertenso, você deve ser acompanhado pela vida toda.
  8. Siga as orientações de seu médico ou profissional da saúde.
  9. Evite o estresse. Tenha tempo para a família, os amigos e o lazer.
  10. Ame e seja amado.