Principal causadora de desmaios, síndrome vasovagal requer cuidados comportamentais

Cardiologia
Fonte: Dr. Alfredo Salim Helito, clínico-geral no Sírio-Libanês.
Publicado em 30/06/2015
Principal causadora de desmaios, síndrome vasovagal requer cuidados comportamentais

​Ambientes fechados ou aglomerados, como igreja, salão de beleza e elevador, são torturantes para as pessoas com síndrome vasovagal. Ficar em jejum, horas em pé ou ansioso também é determinante para desencadear o problema, que se caracteriza pela diminuição da pressão arterial e do batimento cardíaco por ação do nervo vago, localizado na região da nuca.

A principal manifestação da síndrome vasovagal é o desmaio (síncope) e os primeiros sinais da crise são: fraqueza, sudorese, palidez, calor, náusea, tontura, borramento visual, cefaleia ou palpitações. "Não adianta tentar enfrentar os sintomas. Começou a sentir alguma dessas reações, é preciso procurar imediatamente um local para deitar", comenta o dr. Alfredo Salim Helito, clínico-geral no Sírio-Libanês.

Ao deitar, o sangue circula rapidamente por todo o corpo, compensando a queda da pressão arterial e reduzindo a sensação de mal-estar. "Por isso, muitas pessoas que ficam na posição horizontal, após o desmaio, logo retomam seus sentidos", explica o dr. Helito.

Os cuidados em relação à síndrome vasovagal, no entanto, devem ser preventivos. Em primeiro lugar, é preciso consultar um médico para saber se os sintomas observados são mesmo em decorrência dessa síndrome, pois os desmaios também estão associados a problemas mais graves, como arritmia cardíaca e crises convulsivas.

A Unidade de Síncope, do Centro de Cardiologia do Sírio-Libanês, oferece exames que possibilitam estabelecer as causas dos desmaios, como o tilt-teste. Nesse exame, a pressão arterial e o ritmo cardíaco do paciente são avaliados em diferentes inclinações do corpo e sob o efeito de medicamentos.

Dicas preventivas

  • Evite ficar em pé por períodos longos.
  • Beba bastante água (2 litros por dia), pois ajuda a aumentar a pressão arterial e prolongar a capacidade de ficar em pé por mais tempo.
  • Evite bebidas desidratantes, como álcool.
  • Evite ambientes quentes e fechados.
  • Movimente as pernas e panturrilhas enquanto estiver em pé.
  • Se começar a sentir algo estranho, deite-se com as pernas elevadas.
  • Se for desmaiar, deite-se ou aproxime-se do chão para não se machucar na queda.

Não existe um tratamento específico contra a síndrome de vasovagal. Se for confirmado o diagnóstico da doença, medicamentos podem ser receitados em alguns casos, para evitar a queda da pressão arterial, mas geralmente os cuidados são comportamentais. Os portadores dessa síndrome aprendem a evitar alguns ambientes e a controlar as situações que podem desencadeá-la (veja ao lado).

A síndrome vasovagal é mais comum nas mulheres e durante a juventude. Outros fatores que podem levar os portadores dessa síndrome a desmaiar são: grandes emoções, sustos e ingestão de bebidas alcoólicas. Já a hidratação ajuda a controlar a pressão arterial, diminuindo as chances de desmaios.

No geral, as pessoas com síndrome vasovagal vivem bem. No entanto, se não forem tomados os devidos cuidados, aumentam-se os riscos de fraturas decorrentes das quedas por desmaio e a sensação de insegurança, podendo acarretar depressão e tristeza.