Novembro Azul: Saúde também é papo de homem

 
Fonte: Dr. Ciro Eduardo de Souza, oncologista, Dr. Eronides Batalha, radioterapeuta, Dr. Felipe Galiza, médico nuclear, Dr. Gustavo Ebaid, urologista, Dra. Marília Germanos, patologista, Dr. Régis França, radiologista.
Publicado em 29/11/2021
Novembro Azul

O movimento Novembro Azul teve origem em 2003, na Austrália, com o objetivo de chamar a atenção para o diagnóstico precoce de doenças que atingem a população masculina. Esse mês foi o escolhido pois em 17/11 é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata.

A partir de 2016, a campanha Novembro Azul teve seu foco ampliado com a intenção de se tornar um movimento permanente pela saúde integral do homem. A proposta agora é ir além do diagnóstico precoce do câncer de próstata, para abranger todo o espectro de doenças ligadas ao sexo masculino, como disfunção erétil, ejaculação precoce e hipogonadismo.

A escolha de se debater o câncer de próstata reside no grande número de homens que são afetados. Depois do câncer de pele do tipo não melanoma, o câncer de próstata é o mais comum entre os homens. Em 2021, serão diagnosticados mais de 65 mil novos casos de câncer de próstata no Brasil. Este tumor causa mais de 10% de mortalidade em 5 anos. Mas quando diagnosticado precocemente, há aproximadamente 90% de chance de cura.

Quais são os principais fatores de risco? Idade superior a 50 anos, ter pai ou irmão com câncer de próstata antes dos 60 anos, alimentação com excesso de gordura animal.

O que posso fazer para diminuir minha chance de ter câncer de próstata? Praticar atividade física regularmente (evitar o sedentarismo), não fumar, evitar o consumo de gordura animal em excesso, não se expor a produtos químicos como aminas aromáticas e arsênio. Em resumo, é preciso ter hábitos saudáveis.

Preciso procurar o urologista quando eu tiver quais sintomas? Ou melhor, o câncer de próstata dá algum sintoma? NÃO. Na fase inicial, ele não causa sintoma algum. Se compararmos a próstata a uma mexerica, o crescimento benigno, que dá os sintomas, acomete os gomos, pois cresce comprimindo o canal. A grande maioria dos cânceres se instala na casca. Para um câncer que acomete a casca dar sintomas, precisa crescer muito, atingindo os gomos e obstruindo o canal urinário. Nesse momento, ele já não é mais precoce e as chances de controle da doença não são mais as mesmas.

Então, como faço para saber se estou com câncer, se ele não gera sintomas? O único exame que me dá o diagnóstico definitivo de câncer de próstata é a BIÓPSIA PROSTÁTICA. Converse com seu médico de confiança sobre isso.

Devemos, portanto, fazer a biópsia em todos os homens com mais de 45 anos? NÃO. Apesar de ser um exame bastante seguro, é invasivo. Assim, precisamos selecionar os candidatos à biópsia.

Como devemos fazer essa seleção? É aí que entra em cena o PSA e o toque retal. O PSA (antígeno prostático específico) é uma substância produzida única e exclusivamente pelas células prostáticas, mas outras doenças na próstata, como por exemplo prostatite, atrofia, crescimento benigno, além do câncer, podem elevar esse antígeno. Assim, cabe ao urologista avaliar se o valor do PSA está alterado, baseando-se em vários fatores: 1) como eram os PSA’s anteriores? Ele subiu? 2) Qual é idade do paciente? 3) Qual é o tamanho da próstata? 4) A relação do PSA livre sobre o PSA.

A dosagem do PSA é suficiente? Se meu PSA for “bom”, posso ficar sem o toque retal? NÃO. Há casos de câncer de próstata cujas células não produzem PSA (ou produzem pouco). São tumores bem raros, mas eles existem! São os mais agressivos e indiferenciados (as células são tão malignas que deixam de produzir PSA).

E, nestes casos, como sei se estou com suspeita de câncer? Através do TOQUE RETAL. A próstata está, anatomicamente, logo na frente do reto. Assim, através desse exame, nós, médicos, conseguimos sentir toda a face posterior da próstata, onde se concentram 85% dos tumores. Dessa forma, a associação do PSA com o toque retal é tão importante para decidirmos se o paciente é candidato ou não à biópsia.

Existe algum exame de imagem que pode ser utilizado para avaliar a próstata?

Em pacientes com suspeita de câncer de próstata, o exame mais utilizado e que contribui no diagnóstico é a ressonância magnética. Porém, ele não substitui o toque retal nem a dosagem de PSA. Estudos preliminares de rastreamento mostram que talvez exista um papel complementar para detecção de tumores que não tenham sido detectados através do toque retal.

Esse exame é uma ferramenta diagnóstica que o urologista pode utilizar em homens com suspeita de câncer e que ajuda na seleção dos pacientes candidatos a realização da biópsia.

Assim, normalmente usamos o mês de novembro para falarmos da saúde do homem. Mas esse tema deveria fazer parte do nosso dia a dia, o ano todo. Construímos uma saúde melhor com bons hábitos diários, como uma alimentação saudável, atividade física contínua e preservação da saúde mental. A medicina evoluiu muito nestas últimas décadas. Hoje vivemos cada vez mais. Mas, para isso, precisamos fazer a nossa parte. Câncer de próstata não é possível prevenir, mas pode-se fazer o diagnóstico precoce, com grandes chances de cura. Cuide-se. Faça seu checkup. Procure seu médico de confiança, procure seu urologista, seu médico de família, seu cardiologista ou mesmo um oncologista. Em caso de diagnóstico de câncer de próstata, procure um hospital de referência que conte com equipe multidisciplinar.

Referências:

https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-prostata

https://portaldaurologia.org.br/publico/novembroazul/