Mitos e verdades sobre a popular congestão alimentar

Obesidade e Transtornos Alimentares
Fonte: Dr. Alfredo Salim Helito, clínico-geral no Hospital Sírio-Libanês.
Publicado em 09/01/2017

Com a chegada do verão, cresce bastante a procura por piscina, mar, lago, rio, entre outras atividades que envolvem água e exercício físico. Além de estarmos atentos aos perigos de afogamento nesses locais, não devemos nos esquecer dos riscos de "congestão" — termo popular usado para descrever o mal-estar provocado pela prática de exercício físico após refeições pesadas.

Separamos a seguir alguns dos principais mitos e verdades envolvendo esse assunto:

Nadar com o estômago cheio pode causar a popular "congestão".

VERDADE — Após as refeições, nosso sistema digestivo demanda mais sangue para conseguir fazer a absorção dos alimentos. Se durante esse período realizarmos exercícios físicos, podemos criar um tipo de competição do fluxo sanguíneo, pois a musculatura também irá demandar sangue. "Diante dessa competição por sangue no organismo, o cérebro, que é um órgão nobre, pode acabar ficando desabastecido em relação ao fluxo sanguíneo, provocando os sintomas de mal-estar conhecidos popularmente como congestão", explica o dr. Alfredo Salim Helito, clínico-geral no Hospital Sírio-Libanês.

Podemos morrer de "congestão".

MITO — Os sintomas relacionados de mal-estar relacionados à popular congestão são suor frio, tontura e, nos casos mais graves, vômitos e desmaio. Quando isso ocorre, devemos deixar a pessoa em repouso em um local fresco e arejado. Geralmente, em cerca de uma hora esses sintomas começam a desaparecer. Se não desaparecerem ou houver queda na pressão arterial, devemos procurar um serviço de Pronto Atendimento. Segundo o dr. Helito, os casos de morte relacionados à "congestão" geralmente podem ser atribuídos a acidentes relacionados. "Se a pessoa tiver esse problema nadando em alto-mar, pode acabar afogando-se; ou se estiver embriagada, pode acabar aspirando o líquido que vem do estômago, morrendo de asfixia", exemplifica o médico.

Tomar banho depois das refeições também pode causar "congestão".

MITO — Durante o banho, a pessoa não está em atividade física intensa, ou seja, não ocorre aquela disputa do organismo por um maior fluxo sanguíneo que pode levar à paralisação da digestão e à diminuição de fluxo sanguíneo no cérebro.

Após as refeições, devo esperar entre duas a três horas para fazer exercício físico.

Verdade — Esse tempo depende de alguns fatores, como a quantidade e o tipo de alimento ingerido. Carboidratos são digeridos mais rapidamente, seguidos pelas proteínas e, depois, pelas gorduras. No entanto, geralmente, esse processo que vai da mastigação até o momento em que o bolo alimentar deixa o estômago leva de duas a três horas para acontecer, explica o dr. Helito.

Caminhar depois das refeições ajuda na digestão.

Verdade — Apesar de sentirmos preguiça e sono depois das refeições, pequenas caminhadas ajudam na digestão alimentar, reduzindo o desconforto de sentir a barriga inchada, ativando o metabolismo e queimando calorias. Cerca de cem passos já são suficientes para ajudar a digestão.

O Pronto Atendimento do Hospital Sírio-Libanês está preparado para atender pessoas com complicações relacionadas à congestão alimentar e outros problemas que exigem cuidados imediatos. Esse serviço está aberto 24 horas por dia durante os sete dias da semana, incluindo os feriados.

Pacientes que apresentam problemas constantes de má digestão alimentar podem também realizar uma consulta com os profissionais do Núcleo de Obesidade e Transtornos Alimentares. Esse grupo, formado por médicos endocrinologistas, nutricionistas, psicólogos, cirurgiões bariátricos, entre outros profissionais, presta cuidados preventivos e terapêuticos contra a obesidade, a compulsão alimentar, a anorexia, a bulimia e diversas outras alterações endocrinológicas.