Falta de ar, suor repentino e sensação de desmaio são sintomas pouco conhecidos do infarto

Cardiologia
Fonte: Dr. Luiz Francisco Cardoso, cardiologista e superintendente de pacientes internados no Sírio-Libanês.
Publicado em 20/02/2015
Infarto Silencioso

Relatos na literatura médica definem como “silenciosos” cerca de 20% dos casos de infarto agudo do miocárdio, conta o cardiologista Luiz Francisco Cardoso, superintendente de pacientes internados no Sírio-Libanês. A melhor maneira de caracterizar esses tipos de ataques cardíacos, no entanto, seria pela “ausência dos sintomas mais comuns” na maior parte dos infartos.

“Na verdade, não se trata bem de infartos silenciosos, pois eles acabam dando alguns sinais. O problema é que os sinais são diferentes dos habituais”, justifica o médico.

Enquanto na maioria dos casos de infarto o sintoma mais perceptível é a dor no peito, que se espalha pelos braços ou para as costas, o queixo e a mandíbula, nos infartos ditos “silenciosos” os principais sinais são: falta de ar, suor repentino, cansaço extremo, sensação de desmaio, alterações no ritmo cardíaco e angústia.

A presença desses sintomas é mais frequente em casos de ataque cardíaco nas mulheres, principalmente quando estão na menopausa ou são hipertensas. Também são frequentemente observados em pacientes idosos ou com diabetes.

“Perceber que um infarto está ocorrendo nem sempre é fácil”, avalia o dr. Cardoso. “Atendemos muitos pacientes que nos procuram semanas depois de terem um infarto, quando já houve grandes perdas de músculo cardíaco”, acrescenta.

O infarto ocorre quando o fluxo de sangue das artérias que irrigam o coração é bloqueado, geralmente por uma placa de gordura, provocando assim danos no músculo cardíaco. Em metade dos casos, o dano é fatal.

Diante de qualquer um dos sintomas referidos acima, indica-se a procura imediata de um pronto atendimento. O diagnóstico do infarto geralmente é feito por uma tríade que inclui os sintomas, os exames laboratoriais (enzimas cardíacas) e o eletrocardiograma, um tipo de registro gráfico da atividade elétrica do coração. O procedimento de angioplastia primária (cateterismo) ajuda a desobstruir a artéria afetada, minimizando ​os efeitos do ataque cardíaco.

No Sírio-Libanês, o serviço de pronto atendimento conta com uma unidade de emergências cardiovasculares. Os indicadores de qualidade apresentados pela unidade, como o tempo porta-ECG (tempo entre a chegada e a realização do eletrocardiograma) e o porta-balão (tempo entre a chegada e a realização de angioplastia), superam os recomendados pelas organizações internacionais.

O Sírio-Libanês conta também com o Centro de Acompanhamen​to d​a Saúde e Check-up , que ajuda a identificar fatores de risco para o infarto através de exames para diabetes, hipertensão e colesterol. Para as pessoas com mais chance de sofrer um ataque cardíaco, são sugeridas ações preventivas, que envolvem um programa de combate a​o tabagismo (para quem fuma), a prática de exercícios físicos regulares e o uso de alguns medicamentos, se necessário.