Dia Mundial de Combate à Tuberculose

 
Fonte: Dr. Andre Nathan Costa - CRM 108211
Publicado em 24/03/2020

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), a Tuberculose permanece como um importante problema de saúde pública em todo o planeta, com cerca de 10.0 milhões de novos casos estimados no ano de 2018 e um total de 1.2 milhão de mortes por ano. Apesar da tendência de queda global, a Tuberculose está entre as dez principais causas de morte em todo o Mundo, sendo a mais letal dentre o rol de doenças infecciosas. O Ministério da Saúde do Brasil (MS), no ano de 2018, reportou o número total de 72.788 casos de Tuberculose no território nacional, totalizando 4534 óbitos neste período.

Mesmo em são Paulo, a incidência é 36 novos casos por 100 mil habitantes, próxima a alguns países africanos, apesar de muitas vezes as pessoas acharem que a tuberculose só acontece em regiões menos desenvolvidas que nosso estado e cidade.

A forma clínica mais importante é a pulmonar, cerca de 87.0% dos casos, o que torna essa doença infecciosa a mais importante para o pulmão mesmo em comparação aos vírus respiratórios, atualmente a grande preocupação mundial.

Como é uma doença contagiosa, existe grande importância de um diagnóstico precoce para início do tratamento, visando tanto a melhora do indivíduo doente quanto o controle populacional.

A apresentação típica são sintomas de tosse por mais de duas semanas, expectoração, febre vespertina, falta de ar e emagrecimento, o que devem fazer o indivíduo procurar o médico.

Na maior parte das vezes o diagnóstico é feito através do "raio x" de tórax e exame de escarro, porem as vezes os quadros podem ser mais difíceis de diagnosticar necessitando exames mais avançados hoje disponíveis como tomografia de tórax, broncoscopia e exames de biologia molecular.

Por isso a importância de se procurar o médico ao apresentar sintomas persistentes, para avaliação clínica e se necessário exames complementares para diagnóstico correto e tratamento precoce.