Agosto é o Mês da Paternidade

Álcool e Drogas; Obesidade e Transtornos Alimentares
Fonte: Paula Kioroglo, psicóloga no Hospital Sírio-Libanês.
Publicado em 11/08/2017

Sempre no segundo domingo de agosto, celebramos o Dia dos Pais. Apesar de no Brasil a comemoração ter surgido por motivos religiosos e comerciais (veja ao lado), a data tem se tornado importante também para a saúde.

Como surgiu o Dia dos Pais?

O Dia dos Pais surgiu nos Estados Unidos em 1910, quando Sonora Louis Dodd quis homenagear seu pai, William Jackson Smart, um veterano da Guerra Civil Americana que, após a morte da esposa, teve que criar sozinho seus filhos. A homenagem se espalhou pelos Estados Unidos e vários outros países.

No Brasil, o primeiro Dia dos Pais ocorreu em 1953. No entanto, a iniciativa brasileira tinha objetivos religiosos e comerciais. A data começou a ser celebrada sempre em 16 de agosto, Dia de São Joaquim, pai de Maria, mãe de Jesus Cristo; mas depois de alguns anos foi deslocada para o segundo domingo de agosto — e assim permanece até hoje.

Graças a uma iniciativa da Prefeitura do Rio Janeiro, agosto passou a ser o Mês de Valorização da Paternidade. Esta campanha, criada em 2004, se espalhou por todo o País e recebe hoje apoio do Ministério da Saúde e de centenas de outras organizações que atuam na área.

Entre os objetivos do Mês de Valorização da Paternidade, destacam-se o envolvimento dos homens nas seguintes ações:

  • Planejamento reprodutivo.
  • Acompanhamento de suas parceiras no pré-natal, parto e pós-parto.
  • Suporte nos cuidados para o desenvolvimento da criança.

Psicóloga no Hospital Sírio-Libanês, Paula Kioroglo lembra que uma das mudanças significativas na sociedade atual são as mulheres (mães) trabalhando fora de casa e, consequentemente, a divisão com os homens (pais) de tarefas antes exclusivamente destinadas às mulheres. Ou seja, os pais foram inseridos nos cuidados com os filhos, incluindo não só os cuidados afetivos que sempre existiram, mas os cuidados práticos do dia a dia.

Para ela, o Mês da Paternidade é fundamental por ofertar um espaço social, cultural, emocional e prático na vivência da paternidade. “A sociedade empreendeu este projeto da inclusão paterna, mas é importante que as mães também incluam os pais na gravidez, aproximando-os não só do bebê, mas do 'ser pai' antes mesmo de o bebê nascer, assim como na educação ao longo da vida”, comenta.

Qual a importância da figura paterna na saúde?

Segundo explica a psicóloga Paula, a figura paterna tem papel significativo no desenvolvimento emocional, social e cognitivo da criança. “O pai, em conjunto com o papel maternal e afetivo da mãe, representa psicologicamente a figura daquele que apresenta aos filhos a realidade e os limites”, explica. “Esta combinação se traduz em saúde física e emocional da criança”, completa.

No Hospital Sírio-Libanês, os pais, as mães, outros membros da família e amigos são o alicerce para os pacientes. Estes e outros acompanhantes são sempre informados, por exemplo, sobre as diferentes possibilidades de tratamento e cura, as reais condições de saúde do paciente e, a partir disso, passam a ser conscientizados sobre cada procedimento adotado no Hospital.

Muitas vezes, os familiares se inteiram tanto do assunto que acabam sendo uma extensão dos cuidados médicos fora do ambiente hospitalar. Para doenças que exigem cuidados permanentes, como o diabetes, o paciente e seu familiar saem com materiais didáticos com recomendações alimentares, controle da glicemia, exames necessários, entre outros.

A participação dos pais nos cuidados com a saúde, no entanto, vai além. Veja a galeria de fotos abaixo e conheça algumas sugestões de como contribuir para a saúde de seu filho.