Carnaval também é tempo de se cuidar

Publicado em 21/02/2019
Médicos do Hospital Sírio-Libanês dão dicas sobre como evitar problemas com o uso do glitter e alertam sobre importância do protetor solar, do repelente de insetos e do preservativo

O Carnaval está chegando e muita gente já se prepara para sair nos blocos ou para viajar a fim de relaxar. Os médicos alertam que, nos dois casos, é preciso se precaver para evitar que a festa termine antes por causa de situações inesperadas como irritação nos olhos provocada pela maquiagem e queimaduras de sol. Ou, mais grave ainda, pegar febre amarela. Isso sem falar nas precauções necessárias para evitar as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST).

Mas, com pequenos cuidados, é possível evitar esses problemas e aproveitar a folia ou o descanso. Veja, abaixo, as dicas de médicos do Hospital Sírio-Libanês.

Glitter e maquiagem

O glitter e a maquiagem colorida fazem parte da rotina carnavalesca, mas eles exigem certos cuidados. O glitter, por exemplo, é uma partícula sólida e, se entrar no olho, pode arranhar a córnea (porção transparente, anterior do olho, como se fosse o vidro de um relógio). "Uma lesão na córnea, mesmo pequena, pode provocar dor, sensação de corpo estranho e vermelhidão ocular, podendo evoluir para infecções como conjuntivite e úlcera de córnea", explica Dr. Newton Kara Jose Junior, oftalmologista do Hospital Sírio-Libanês. Caso o produto entre no olho, o oftalmologista recomenda não esfregar, mas sim lavá-lo com bastante água corrente, inicialmente, ou instilar colírio lubrificante, preferencialmente. "Se não sair, é preciso ir a um pronto-socorro."

Com relação à maquiagem, ele alerta: "Verifique a data de validade dos produtos antes de aplicá-los nos olhos." Outra recomendação é não compartilhar produtos como base, sombras, lápis e pincéis – assim, evite maquiagem colocada à disposição de convidados em banheiros e camarotes, por exemplo. Os principais sinais de problemas provocados pelo mau uso de cosméticos são irritação e vermelhidão, olhos secos, coceira, visão embaçada, sensação de areia nos olhos, secreção e pálpebras inchadas.

Por fim, mas não menos importante, o oftalmologista lembra que é necessário limpar toda a maquiagem ao chegar em casa. "Nunca durma com maquiagem", aconselha Dr. Newton. "Isso evitará irritações nos olhos."

Protetor solar

Para quem sairá em blocos, ou vai para a praia, o protetor solar é item obrigatório de acordo com médica dermatologista Cristina Abdalla. "O ideal é usar um protetor com FPS 30, que oferece quase 96% de proteção", explica.

A médica alerta que o protetor deve ser usado mesmo que o dia esteja nublado. Além disso não esquecer das medidas gerais de proteção, como procurar a sombra, usar roupas protetoras, como chapéu, boné, camiseta etc.

A dermatologista explica que, para quem vai sair em blocos, o ideal é passar o protetor e só depois aplicar a maquiagem. Dessa forma, a pele fica protegida e não interfere na produção carnavalesca.

Outra dica importante é reaplicar o protetor a cada duas horas ou sempre que necessário, ou seja, depois de transpirar ou de entrar no mar ou piscina.

Febre amarela

Para quem vai viajar no Carnaval, a recomendação da médica infectologista Mirian Dal Ben é se informar se a área tem registro de febre amarela. Há casos registrados recentemente no litoral paulista (norte e sul), vale do Ribeira e região sul do país. Por isso, a vacina é essencial e deve ser tomada 10 dias antes da viagem.Quem não podem tomar a vacina, caso de maiores de 60 anos com restrições médicas, gestantes, crianças com menos de 6 meses e transplantados ou pacientes que tomam imunossupressores, devem usar repelente o tempo todo.

"Repelentes devem ser aplicados sobre a pele exposta e podem ser borrifados sobre as roupas, mas não é necessário passar o produto nas áreas cobertas pelas roupas", explica a médica. Para gestantes e crianças, uma boa dica é usar roupas que cubram boa parte do corpo para que a quantidade total do repelente a ser aplicado seja reduzida.

Pode-se aplicar uma fina camada na face, colocando o repelente nas mãos, esfregando uma palma contra a outra e, em seguida, aplicando-o à face. Deve-se evitar o contato com os olhos e boca. "Mas lembre-se de higienizar as mãos depois da aplicação para evitar contato inadvertido com os olhos, mãos e genitais", alerta a infectologista. E lembre-se de reaplicar o produto conforme a indicação da embalagem, pois ele vai perdendo a eficácia.

Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST)

Outro aliado importante e que não pode ser esquecido no Carnaval é o preservativo. É a forma mais eficaz e barata de se prevenir as Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST), como Aids, sífilis e gonorreia. De 2006 a 2015, a taxa de detecção de casos de Aids no Brasil entre jovens do sexo masculino de 15 a 24 anos aumentou em mais de duas vezes. O boletim do Ministério da Saúde aponta, também, um aumento expressivo no número de casos de sífilis no país. "Por isso, o uso de preservativo é muito importante", alerta a infectologista Mirian Dal Ben.

Assunto: Bem-estar
  • ​​​​​​Assessoria de Imprensa​

    Plantão
    +55 (11) 97613-3816

    FSB Comunicação

    Vanessa Rodrigues
    +55 (11) 3394-4830
    Rose Guirro
    +55 (11) 3394-4819
    Gabriela Scheinberg
    +55 (11) 3165-9762
    Max Gonçalves
    +55 (61) 9261-6565