Saiba como melhorar a qualidade do sono nas noites quentes de verão

Publicado em 24/01/2019

O pneumologista Mauricio Bagnato, do Hospital Sírio-Libanês, orienta a tentar reduzir a temperatura do ambiente a 24°C, a ideal para o ser humano

Noites quentes causam inúmeros incômodos e adversidades para dormir. De acordo com o pneumologista Mauricio Bagnato, do Hospital Sírio-Libanês, a dificuldade para descansar em dias quentes se dá não só pela temperatura, mas por toda a ambientação do quarto, podendo ter interferência de luminosidade, ruídos e da umidade do ar.

Bagnato explica que, em noites com temperaturas mais elevadas, o corpo precisa fazer uma termo regulação para se adequar ao calor e, assim, provocando suor e desconforto. De acordo com o médico, para que esse desconforto não afete o sono, é necessário que o ambiente seja adequado para que tenha uma redução na temperatura, tentando mantê-la em torno dos 24°C, que é considerada a ideal para o ser humano.

O especialista recomenda que, para que haja a redução no calor, o ambiente deve ter alguma ventilação, sendo recomendado o uso de ventiladores, circuladores, climatizador ou a janela aberta. Embora o ar condicionado seja uma boa opção para abaixar a temperatura, o aparelho pode causar ressecamento das mucosas e trazer problemas nasais e da faringe, já que utiliza a umidade do ambiente.

Os dias quentes também podem ser acompanhados da baixa umidade e dias sem chuva. O pneumologista explica que, com essa baixa umidade, as pessoas tendem a apresentar ressecamento do nariz e da faringe, especialmente em pessoas que costumam dormir com a boca aberta. O ressecamento da faringe e a respiração pela boca facilitam as infecções na garganta, provocando gripe. As mudanças de temperatura e a baixa umidade também provocam quadros de rinite e, com o ressecamento das narinas, a respiração é obstruída.

O médico afirma que, em casos de baixa umidade e no calor, o ar condicionado seja evitado, pois o aparelho absorve a água do ambiente e deixa o lugar ainda menos úmido. Para dormir, o médico afirma que elevar o tronco com travesseiros pode ajudar na respiração, mas não recomenda, pois a mudança na postura pode prejudicar a coluna. A pessoa deve, ainda, hidratar bem as mucosas e, no nariz, aplicar soro fisiológico.

A luminosidade também interfere na qualidade do sono, especialmente em noites quentes, quando as pessoas abrem as janelas para tentar receber amenizar o calor. Assim, a luz da lua ou dos postes de iluminação da rua, diminuem a quantidade de melatonina, hormônio responsável pelo sono, já que o corpo humano é desenvolvido para dormir no escuro.

Os ruídos também diminuem a qualidade do sono. Ventiladores e ar condicionado barulhentos ou barulhos da rua interferem no sono, já que podem impossibilitar a pessoa de dormir devido aos seus ruídos, provocando incômodo. Quando somado aos outros fatores, as pessoas ficam menos propensas a pegar no sono.

Entre os problemas que a má qualidade do sono pode oferecer são a lentidão de raciocínio, sonolência durante o dia, mal humor e lentidão no raciocínio. Para dormir bem com o calor, o médico afirma que algumas mudanças no ambiente e alguns costumes podem ajudar, como tomar banhos frescos antes de dormir, utilizar tampões de ouvido para amenizar ruídos, usar máscaras de dormir para não ser afetado pela luz, e colocar bacias com água para deixar o ambiente umidificado.

Fonte: R7

Assunto(s): Bem-estar; Hospital; Notícias; Saúde
  • ​​​​​​Assessoria de Imprensa​

    Plantão
    +55 (11) 97613-3816

    FSB Comunicação

    Vanessa Rodrigues
    +55 (11) 3394-4830
    Rose Guirro
    +55 (11) 3394-4819
    Gabriela Scheinberg
    +55 (11) 3165-9762
    Max Gonçalves
    +55 (61) 9261-6565