Doenças Pulmonares e Torácicas

​​​​​​Asma

A asma é uma doença pulmonar inflamatória crônica (de longa duração), caracterizada pelo fechamento reversível dos brônquios (tubos que ligam a garganta aos pulmões, por onde passa o ar). Como consequência, o paciente apresenta chiado, falta de ar, tosse seca e aperto no peito.

É bastante comum a confusão entre asma e bronquite. Diferentemente da asma, a bronquite caracteriza-se predominantemente por tosse e catarro. Ela é aguda quando dura menos do que três semanas e, frequentemente, aparece após os resfriados. Se durar meses, torna-se crônica e geralmente é diagnosticada em fumantes de longa duração.

Embora o asmático possa apresentar tosse, as crises de chiado e falta de ar são predominantes. A afirmação de que a bronquite é mais leve e não se transforma em asma não é verdadeira. Assim como são incorretas definições usuais como bronquite asmática ou asmatiforme ou bronquite alérgica.

A grande maioria das crises de asma é precipitada por infecções de vias respiratórias altas (gripe ou resfriado). Entretanto, algumas crises podem ser desencadeadas por substâncias alérgicas (poeira, pelos ou saliva de animais, grama, mofo) ou irritantes (poluição, fumaça de cigarro ou lareiras, cheiros fortes). Menos frequentemente, elas também podem aparecer durante exercícios físicos ou após estresse emocional.

Avaliação

Após avaliação do histórico do paciente e realização de exames clínicos cuidadosos, o médico poderá solicitar prova de função pulmonar (prova do sopro), radiografia de tórax e seios da face e exames de sangue. Em casos mais graves, poderão ainda ser solicitados tomografia computadorizada de tórax, pHmetria esofágica, eletrocardiograma e ecocardiograma.

O objetivo do tratamento da asma não é a cura da doença, mas seu controle para que o indivíduo possa levar uma vida normal. Isso significa manter a função pulmonar estável, realizar atividades diárias e exercícios físicos sem limitações, além de diminuir a frequência e a intensidade das crises agudas.

Para atingir esse objetivo, é necessário que o paciente entenda a sua doença, consiga identificar e evitar os fatores desencadeadores, monitore frequentemente os seus sintomas e sua função pulmonar e use adequadamente as medicações prescritas.

As medicações variam de acordo com o tipo e a gravidade da asma, por isso o tratamento é individual e varia ao longo do tempo. Os medicamentos são divididos em duas classes: os de alívio imediato (broncodilatadores de ação curta) e os de manutenção (broncodilatadores de ação prolongada, corticoesteroides inalatórios, antagonistas de leucotrienos, xantinas e corticoesteroides sistêmicos).

 


Você está visualizando:

Doenças Pulmonares e Torácicas

Outros conteúdos disponíveis para esta especialidade: