Centro de cardiologia



Criado em 2017, o Núcleo de Doenças Inflamatórias Intestinais (DII) do Hospital Sírio-Libanês tem como objetivo oferecer atendimento multidisciplinar com equipe especializada composta por gastroenterologistas clínicos, gastrocirurgiões, coloproctologistas, nutrólogos, enfermeiras, nutricionistas e psicólogos.

O núcleo oferece acompanhamento ambulatorial e atendimento a pacientes internados, identificando as necessidades de cada paciente e, quando necessário, realiza o encaminhamento para outros núcleos especializados do HSL como Endoscopia Digestiva, Radiologia Intervencionista e Centro de Infusão de Medicações.

Entre os diferenciais do Núcleo de DII, destaca-se o tratamento centrado no paciente, tendo como principal objetivo estabelecer a melhor relação médico-paciente, trazendo informações e orientações sobre a doença e sua cronicidade, promovendo a escolha compartilhada e individualizada do tratamento clínico e/ou cirúrgico, com foco em devolver ao paciente o bem-estar e a qualidade de vida.

A doença inflamatória intestinal (DII) engloba essencialmente duas enfermidades: a retocolite ulcerativa (RCU) e a doença de Crohn (DC), que são caracterizadas por inflamação crônica, de caráter progressivo e recorrente. Apesar de acometer principalmente jovens adultos, a DII pode ocorrer em todas as faixas etárias.

A RCU é uma doença inflamatória crônica do intestino grosso, caracterizada por inflamação da camada superficial do cólon (mucosa). A inflamação inicia-se no reto (proctite), local onde se apresenta de forma mais intensa e pode se estender por todo o cólon de modo contínuo, sem nenhuma área de mucosa normal poupada.

Os sintomas consistem em diarreia com muco e sangue, dor anal, urgência evacuatória e cólicas em razão do aumento das contrações intestinais. Também pode causar manifestações extraintestinais, como artralgia/artrite, aftas orais, inflamação nos olhos e na pele, entre outras.

A DC caracteriza-se por uma inflamação crônica que acomete todas as camadas da parede intestinal. Embora ocorra preferencialmente na porção final do intestino delgado (íleo), pode acometer da boca ao ânus e região perianal de forma salteada. Apresenta ainda potencial de evoluir com complicações, como estreitamentos intestinais (estenoses) e fístulas.

Os principais sintomas da doença são diarreia, dor abdominal, febre e eliminação de muco e sangue nas fezes quando o intestino grosso é acometido. Os pacientes também podem apresentar manifestações extraintestinais.



O núcleo oferece avaliação da doença, acompanhamento ambulatorial e atendimento a pacientes internados.

A avaliação da gravidade e prognóstico na fase inicial da Doença de Crohn e Retocolite ulcerativa são essenciais para o desenvolvimento de um plano terapêutico adequado. É importante identificar o estado da doença já em sua apresentação inicial, no intuito de identificar fatores preditivos de um curso mais grave da doença.

Além disso, sabe-se que o diagnóstico precoce e o tratamento adequado da doença em sua fase inicial apresentam impacto importante no prognóstico e um maior potencial de modificar a sua história natural, minimizando suas complicações.





Você está visualizando:

Página inicial desta especialidade

Centro de cardiologia

Outros conteúdos disponíveis para esta especialidade: