Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

IG/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/07/2020 às 00h00

Tida como um dos medicamentos utilizados para combater o novo coronavírus (Sars-CoV-2), a ivermectina não tem até agora testes realizados em humanos ou animais que comprovem sua eficácia e segurança contra o vírus que causa a Covid-19 . Até agora, os únicos estudos feitos foram com o novo coronavírus isolado, ou seja, fora de um organismo vivo. Conforme explica Alexandre Cunha, infectologista do Hospital Sírio-libanês em Brasília, os testes ainda são considerados pré-clínicos e foram feitos somente em laboratório com o vírus colocado em lâminas. "Nesses casos, a dose que matou o coronavírus foi pelo menos 100 vezes maior do que a quantidade dos comprimidos", diz o especialista. Junto com a hidroxicloroquina e a azitromicina, a ivermectina tem sido usada e recomendada pelo Ministério da Saúde contra a Covid-19 inclusive para tratamento profilático (de prevenção) contra a doença. A droga, no entanto, é um vermicida usado contra parasitas de dois grupos. O primeiro é o de ectoparasitas, que são os piolhos e ácaros escavadores que causam a sarna, por exemplo. Já o segundo são os vermes intestinais, como as lombrigas. "É um medicamento que não serve para tratar doenças do trato respiratório, que é o caso da Covid-19", completa Cunha. Em junho, a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), órgão ligado à OMS nas Américas, emitiu alerta contra o uso da ivermectina no combate à Covid-19. O documento cita a alta quantidade necessária e os riscos que ela causa ao corpo humano com base nos parâmetros aprovados pela FDA (Food and Drug Administration), entidade equivalente à Anvisa nos Estados Unidos. O órgão foi seguido pela própria Anvisa um mês depois. Embora seja um remédio considerado seguro, Cunha ainda explica que ele pode ter efeitos colaterais como diarreia, náusea e dor abdominal. A contraindicação é para grávidas, crianças com menos de cinco anos e pessoas com meningite, sendo que, mesmo que raramente, ela ainda pode causar sonolência e danos no Sistema Nervoso Central (SNC).

MSN BRASIL
Data Veiculação: 22/07/2020 às 00h00

Na corrida mundial em busca da imunização contra a covid-19, doença causada pelo coronavírus, o Brasil está se destacando como polo de testagem das vacinas. Especialistas atribuem o interesse das empresas farmacêuticas no País às altas das taxas de contaminação e novos casos que ainda são registrados diariamente. Atualmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a testagem das seguintes vacinas: a britânica, desenvolvida pela Universidade de Oxford, a chinesa CoronaVac, da Sinovac Biotech, e as germano-americanas BNT162b1 e BNT162b2, testadas por um mesmo estudo das empresas BioNTech e Pfizer. + SP quer dobrar produção de vacina do Instituto Butantan + ‘Pessoas não serão vacinadas até início de 2021’, diz diretor da OMS + EUA paga US$ 1,95 bi para garantir doses de potencial vacina De acordo com a infectologista Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio-Libanês e conselheira do Society for Healthcare Epidemiology of America (SHEA), a velocidade de contágio que segue ocorrendo no Brasil acelera o tempo necessário para a testagem das vacinas. “Para comprovar a eficácia da vacina a gente cria dois grupos. Por sorteio, separamos quem receberá a imunização e o placebo. Temos que observar a incidência de casos nos dois grupos e um ambiente com alta contaminação é favorável para esse teste”, afirma Miriam. Lessandra Michelin, infectologista e diretora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), reforça que o cenário no Brasil é adequado para o teste. “A pessoa recebe a vacina e depois ela tem que se expor ao vírus para ver se a vacina protegeu. Então [todo este processo de testagem de novos medicamentos contra o coronavírus] deve ser em locais que ainda tenham muitos casos.” Para a infectologista e gerente médica de produtos clínicos da Sharecare, Jane de Oliveira Gonzaga Teixeira, o histórico positivo das instituições brasileiras dessa área foram importantes na escolha do País. “Temos credibilidade no desenvolvimento de vacinas e esse movimento pode gerar algum tipo de transferência de conhecimento desses processos”, destaca Jane. A coordenadora médica da Conexa Saúde, Layla Almeida, aponta outro motivo que também torna o País vantajoso para os testes. “O fato de não termos tecnologia para a produção da vacina motiva ações do governo brasileiro e mediadas da Anvisa para facilitar a liberação de testes da fase 3”, relata.

ISTOÉ DINHEIRO ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/07/2020 às 19h46

Na corrida mundial em busca da imunização contra a covid-19, doença causada pelo coronavírus, o Brasil está se destacando como polo de testagem das vacinas. Especialistas atribuem o interesse das empresas farmacêuticas no País às altas das taxas de contaminação e novos casos que ainda são registrados diariamente. Atualmente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou a testagem das seguintes vacinas: a britânica, desenvolvida pela Universidade de Oxford, a chinesa CoronaVac, da Sinovac Biotech, e as germano-americanas BNT162b1 e BNT162b2, testadas por um mesmo estudo das empresas BioNTech e Pfizer. De acordo com a infectologista Mirian Dal Ben, do Hospital Sírio-Libanês e conselheira do Society for Healthcare Epidemiology of America (SHEA), a velocidade de contágio que segue ocorrendo no Brasil acelera o tempo necessário para a testagem das vacinas. “Para comprovar a eficácia da vacina a gente cria dois grupos. Por sorteio, separamos quem receberá a imunização e o placebo. Temos que observar a incidência de casos nos dois grupos e um ambiente com alta contaminação é favorável para esse teste”, afirma Miriam. Lessandra Michelin, infectologista e diretora da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), reforça que o cenário no Brasil é adequado para o teste. “A pessoa recebe a vacina e depois ela tem que se expor ao vírus para ver se a vacina protegeu. Então [todo este processo de testagem de novos medicamentos contra o coronavírus] deve ser em locais que ainda tenham muitos casos.” Para a infectologista e gerente médica de produtos clínicos da Sharecare, Jane de Oliveira Gonzaga Teixeira, o histórico positivo das instituições brasileiras dessa área foram importantes na escolha do País. “Temos credibilidade no desenvolvimento de vacinas e esse movimento pode gerar algum tipo de transferência de conhecimento desses processos”, destaca Jane. A coordenadora médica da Conexa Saúde, Layla Almeida, aponta outro motivo que também torna o País vantajoso para os testes. “O fato de não termos tecnologia para a produção da vacina motiva ações do governo brasileiro e mediadas da Anvisa para facilitar a liberação de testes da fase 3”, relata.

G1/NACIONAL
Data Veiculação: 22/07/2020 às 19h33

O prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB) está em fase final do tratamento médico contra a Covid-19 e "deve ter alta no início da próxima semana", conforme boletim emitido pelo hospital Sírio Libanês (SP) nesta quarta-feira (22). A primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, que também testou positivo para a doença, já está recuperada e sairá da unidade juntamente com o prefeito, segundo informações da Prefeitura. Arthur Neto e a primeira-dama tiveram o diagnóstico da Covid-19 no dia 29 de junho e deram início ao tratamento no hospital Adventista de Manaus. Os dois foram transferidos para o hospital Sírio Libanês no dia 6 de julho, por decisão do próprio prefeito. Em todo o Amazonas, já são mais de 92 mil casos confirmados da doença. “Reforço aqui o alerta para toda a população, para que se mantenham vigilantes, não descuidem das medidas de prevenção. Apesar da redução de casos em algumas cidades, não há o que se comemorar, não existe, ainda, pós-pandemia”, alertou o prefeito de Manaus, por meio de assessoria. Segundo a prefeitura, Virgílio continuou o tratamento no Sírio Libanês para que pudesse realizar o acompanhamento da cirurgia para retirada do câncer na próstata, realizada há alguns anos, já que a unidade possui todo seu histórico médico. Covid-19 em Manaus Em Manaus, a pandemia do novo coronavírus levou o sistema público de saúde ao colapso, entre os meses de abril e maio. Neste mês de junho, o número de mortes na capital amazonense, que ficou 108% acima da média histórica, já se aproxima do que era registrado antes da pandemia, com redução que chega a 60%. O hospital de campanha municipal zerou o número de pacientes e encerrou as atividades no dia 23 de junho, após 71 dias de funcionamento. O comércio na capital amazonense começou a reabrir, de forma gradual, no dia 1º de junho. Nesta segunda-feira (6), o Governo do Amazonas autorizou a abertura de bares e instituições de ensino privada, no quarto e último ciclo do plano estadual de retomada das atividades econômicas não essenciais.

EM TEMPO ONLINE/MANAUS
Data Veiculação: 22/07/2020 às 18h10

O prefeito Arthur Virgílio Neto está em fase final do tratamento médico da infecção causada pelo novo coronavírus e, conforme boletim médico emitido pelo hospital Sírio Libanês (SP) nesta quarta-feira, 22/7, “deve ter alta no início da próxima semana”, confirma o documento. A primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, que também testou positivo para a Covid-19, já está recuperada e sairá da unidade juntamente com o prefeito. Leia também: Diagnosticado com Covid-19, Arthur Neto é transferido para São Paulo “Estamos ansiosos por retornar à nossa rotina, mais que isso, estamos agradecidos por sairmos vitoriosos da luta contra esse vírus perigoso”, disse Virgílio. “Reforço aqui o alerta para toda a população, para que se mantenham vigilantes, não descuidem das medidas de prevenção. Apesar da redução de casos em algumas cidades, não há o que se comemorar, não existe, ainda, pós-pandemia”, alertou o prefeito de Manaus. Arthur Neto e sua esposa tiveram o diagnóstico da Covid-19 no dia 29/6, dando início ao tratamento no hospital Adventista de Manaus. Para que pudesse realizar o acompanhamento da cirurgia para retirada do câncer na próstata, realizada há alguns anos, Virgílio continuou o tratamento no Hospital Sírio Libanês, desde o dia 6 de julho, em São Paulo, unidade que já possui todo o histórico médico do prefeito de Manaus.

PREFEITURA DE MANAUS/MANAUS
Data Veiculação: 22/07/2020 às 17h10

A Prefeitura de Manaus informa que o prefeito Arthur Virgílio Neto está em fase final do tratamento médico da infecção causada pelo novo coronavírus e, conforme boletim médico emitido pelo hospital Sírio Libanês (SP) nesta quarta-feira, 22/7, “deve ter alta no início da próxima semana”, confirma o documento. A primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, que também testou positivo para a Covid-19, já está recuperada e sairá da unidade juntamente com o prefeito. “Estamos ansiosos por retornar à nossa rotina, mais que isso, estamos agradecidos por sairmos vitoriosos da luta contra esse vírus perigoso”, disse Virgílio. “Reforço aqui o alerta para toda a população, para que se mantenham vigilantes, não descuidem das medidas de prevenção. Apesar da redução de casos em algumas cidades, não há o que se comemorar, não existe, ainda, pós-pandemia”, alertou o prefeito de Manaus. Arthur Neto e sua esposa tiveram o diagnóstico da Covid-19 no dia 29/6, dando início ao tratamento no hospital Adventista de Manaus. Para que pudesse realizar o acompanhamento da cirurgia para retirada do câncer na próstata, realizada há alguns anos, Virgílio continuou o tratamento no Sírio Libanês, que já possui todo seu histórico médico. Ele e a primeira-dama estão na unidade hospitalar paulista desde o último dia 6/7. “O Neto está muito bem e mostrou ter um sistema imunológico fortalecido. Seu comprometimento respiratório foi bem baixo e, graças a Deus, não precisou de cuidados mais intensivos. Como o guerreiro e lutador que sempre foi, sairá dessa com mais uma vitória”, brincou Elisabeth Valeiko, finalizando que não veem a hora de reencontrar a família, os amigos e todas pessoas que acompanham as ações do prefeito, sempre presente nas ruas da cidade de Manaus. Notícias relacionadas Meio Ambiente Arboriza Manaus faz plantio em passeio público da Praça da Matriz Ação Prefeitura + Presente realiza mais de 4 mil atendimentos no bairro Cidade de Deus Meio Ambiente Área verde do Conjunto Hileia recebe ação do Arboriza Manaus Cultura Mais de 280 projetos concorrem ao Prêmio Manaus de Conexões Culturais Social “Prefeitura + Presente” atende mais de cinco mil pessoas no Puraquequara Cultura Museu da Cidade em Manaus é destaque em revista nacional Limpeza Prefeitura reforça ação de retirada de lixo da orla da Manaus Moderna Nota A pedido da prefeitura, TRE-AM comparece em evento para evitar conotação política Meio Ambiente Arboriza Manaus realiza manutenção com replantio de mudas no conjunto Eldorado Empreendedorismo Rota da Tecnologia mapeia grupos que trabalham com inovação em Manaus Centro 4ª edição do Passo a Paço levou mais de 50 mil pessoas ao Centro Histórico de Manaus Meio Ambiente Arboriza Manaus prossegue com manutenção em áreas que receberam plantio Eventos Público participa de votação para escolha de artista para o Boi Manaus 2017 Campanha [VÍDEO] ‘348 motivos para amar Manaus’ começa a ser veiculada Festa Celebração dos 348 anos de Manaus terá programação histórica Ação Segurados fazem credenciamento de estacionamento para idosos e pessoas com deficiência na Manaus Previdência Ações Ação itinerante da Prefeitura atende mais de 4 mil pessoas no Monte das Oliveiras Cidadania Prefeitura + Presente realiza mais de 5 mil atendimentos no Viver Melhor Cidadania Prefeitura assegura cidadania a pessoas com certidões de nascimento tardias Comércio, Empreendedorismo, Emprego, Eventos, Reunião Prefeitura e empreendedores acertam últimos detalhes para inauguração do Shopping T4 Administração, Agenda, Palestra, Prefeito Prefeito Arthur Neto e diretoria da Samsung discutem novos investimentos para Manaus Administração, Agenda, Prefeito Prefeito Arthur Virgílio destaca organização administrativa e econômica de Manaus para Associação Comercial carioca Saúde Prefeitura promove debates sobre Pré-Natal nos Distritos de Saúde Oportunidade Prefeitura abre Processo Seletivo para a contratação de agentes de fiscalização Saúde Saúde nas Galerias atende população no Centro de Manaus Centro, Cultura Prefeitura assume gestão do Museu do Porto Empreendedorismo Prefeitura lança pacote de projetos para tornar Manaus mais empreendedora Infraestrutura Prefeitura elabora planilha de custos para cobrar Manaus Ambiental Cultura Terceira edição do Bloco na Rua acontece neste sábado no Centro Nota Ação do “Prefeitura + Presente” prevista para este sábado está cancelada