Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

MSN BRASIL
Data Veiculação: 22/06/2020 às 00h00

Em resultados divulgados na última semana, pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, afirmam que encontraram a primeira droga que comprovadamente reduz as mortes por Covid-19. O uso do corticoide dexametasona como tratamento contra a doença causada pelo novo coronavírus levou a uma redução de um terço nas mortes de pacientes graves, ligados a respiradores. Um estudo com a mesma medicação está sendo feito no Brasil e deve ter resultados concretos em breve. O medicamento é muito usado desde a década de 60 em casos de comprometimento pulmonar causado por outras bactérias e vírus e possui baixo custo. Mesmo que o estudo ainda não tenha sido publicado em nenhuma revista científica – o que é considerado o último passo para a validação de uma pesquisa – o Ministério da Saúde do Reino Unido já incluiu medicação no protocolo de tratamento da Covid-19. Os corticoides agem reduzindo inflamações, um problema causado pela doença quando ela ativa o sistema imune para lutar contra o coronavírus. A reação forte pode ser fatal e, nesses casos, esse tipo de medicamento é indicado. “A partir do quinto ou sétimo dia da doença e até o 12º ou 13º, o vírus pode causar uma inflamação que se inicia no pulmão. É neste momento que vem a forma grave da doença, em que o paciente pode apresentar pneumonia e síndromes respiratórias graves, que vão inclusive levá-lo à necessidade de respirador. Essa segunda fase da doença, que pode ser muito grave em 20% das pessoas, está associada a uma resposta imunológica do doente, ou seja, a defesa do corpo começa a atacar o próprio organismo”, explica a Dra. Ludmila Hajjar, cardiologista e intensivista, professora da USP, coordenadora da UTI de Cardiologia Covid do Hospital das Clínicas e Diretora de Ciência Tecnologia e Inovação da Sociedade Brasileira de Cardiologia. Continua após a publicidade para o estudo britânico, coordenado pelo Recovery – o maior ensaio clínico controlado randomizado (pacientes escolhidos por sorteio) para testar medicamentos contra a doença – foram selecionados 2.104 pacientes graves que foram medicados com a dexametasona por via oral ou intravenosa. Estes pacientes foram comparados com outros 4.321 tratados convencionalmente – o que significa o uso de ventilação mecânica e soro. A redução de morte naqueles que precisavam de tratamento com respiradores foi de quase 35% e, nos que precisavam de suporte de oxigênio, 20%. “Este é um resultado extremamente bem-vindo”, disse Peter Horby, da Universidade de Oxford, em comunicado reproduzido pela agência AP. “O benefício da sobrevivência é claro e amplo nestes pacientes que estavam doentes o suficiente para precisarem de tratamento com oxigênio. Então, a dexametasona pode agora se tornar padrão no cuidado destes pacientes. A dexametasona é barata nas prateleiras e pode ser usada imediatamente para salvar vidas ao redor do mundo”. No Brasil Um estudo com o mesmo medicamento está sendo feito no Brasil desde abril e deve ter resultados concretos em agosto. A pesquisa é coordenada pela coalizão formada por hospitais de ponta como Sírio-Libanês, Albert Einstein e Oswaldo Cruz. O objetivo da pesquisa é contemplar 350 pacientes em estado grave e comparar os resultados do tratamento com a dexametasona com pacientes em estado grave que não usaram o corticoide. Até o momento, 280 pacientes usaram a medicação e, nos próximos 20 dias, os outros 80 também devem ser submetidos ao tratamento. Depois do fim dos testes, os resultados serão acompanhados por 30 dias em um banco de dados. Logo após, um comitê internacional de pesquisadores deve se reunir para analisar os resultados. Continua após a publicidade “Nós já imaginávamos que os corticoides, como a Dexametasona e a Metilprednisilona, pudessem ser úteis nessa fase. Eu e alguns outros médicos já usávamos corticosteroides nos doentes graves com Covid-19”, explica Ludmila. Segundo os pesquisadores brasileiros, os resultados são promissores, mas a eficácia da droga ainda precisará ser confirmada com novos estudos. Apesar disso, já se sabe que é uma medicação que poderá ser usada apenas em casos graves, quando é necessário o uso de respiradores, e não em manifestações brandas da doença. Se usada na fase inicial, a dexametasona pode ser até prejudicial no combate ao novo coronavírus. “Não faz sentido as pessoas irem às farmácias comprarem os corticoides de maneira preventiva. Não é para ‘estou sentindo uma dor de cabeça, pode ser Covid, vou comprar e tomar’. Não é preventivo e nem para casos leves. Esse remédio tem seus efeitos colaterais, pode aumentar o risco de uma infecção bacteriana ou o quadro viral. É um anti-infamatório muito potente”, disse Luciano Cesar Pontes de Azevedo, médico do Sírio-Libanês e um dos coordenadores do estudo brasileiro, em entrevista à CNN. O médico também afirmou que, como a droga já estava sendo usada por alguns pacientes, foi mais difícil conseguir recrutar pessoas para a pesquisa, já que é necessário que eles nunca tenham utilizado a medicação para poder ser voluntário no estudo. Para fazer parte da pesquisa, o médico responsável deve avisar ao paciente internado com a forma mais grave da doença sobre a existência desse estudo, deixando claro que não há certeza de eficácia por enquanto. Caso a pessoa queira participar do teste, ela entra em uma espécie de sorteio para ver em qual dos grupos será analisada – seja o tratado com a “nova” medicação ou o tratado de maneira convencional. Continua após a publicidade é importante lembrar que, apesar de apresentar resultados promissores, a dexametasona não faz milagres, segundo o próprio comunicado dos cientistas ingleses. Ela reduziu o risco de morte em pacientes graves, mas não o zerou. “Eu diria que, até o momento, esse é o maior sucesso no tratamento da doença. Pode ser que tenhamos outros, mas esses resultados hoje já nos ajudam a manejar e tratar esse doente, até que tenhamos uma outra forma de tratamento para ser associado ou eventualmente alguma forma de prevenção, como a vacina”, diz Ludmila. O que você precisa saber sobre gravidez em tempos de pandemia

DIÁRIO DE GOIÁS ONLINE/GOIÂNIA
Data Veiculação: 22/06/2020 às 00h00

WhatsApp Facebook Twitter Linkedin O Sindicato dos Condomínios e Imobiliárias de Goiás (Secovi-GO) entrou na briga para reabrir o comércio em Goiânia ao ajuizar nesta segunda-feira (22/06) um agravo de instrumento para derrubar a liminar publicada ontem (21/06) que impedia a vigência do decreto da Prefeitura que permitia a flexibilização e reabertura do comércio a partir de hoje. Em entrevista concedida ao *Diário de Goiás* um dos advogados responsáveis pelo texto, Flávio Rodovalho afirmou que o entendimento do Secovi é que o Ministério Público do Estado de Goiás acabou partindo para uma “premissa totalmente equivocada o que acabou induzindo o juiz plantonista no domingo a erro”. “Estamos invertendo a regra” Leia também: Goiás tem 16,7 mil casos de Covid-19 em quase 200 municípios 22/06/2020 Empresários estão “estarrecidos” com anulação de decreto, diz Fecomércio 22/06/2020 Flávio afirma que não há nenhuma necessidade de a Prefeitura apresentar um estudo epidemiológico que subsidie a reabertura do comércio. Na realidade, é justamente o contrário. O principal motivo para a ação, segundo a promotora de Justiça, Marlene Bueno foi a ausência dados técnicos para sustentar a abertura. “O decreto pautou-se dentro da competência da municipalidade, mas sem cuidar da necessária fundamentação em elementos de ordem científica, a cargo do COE”, escreveu o juiz Claudiney Alves de Melo, na decisão, em consonância com os argumentos do MP. Para o advogado, há o que ele chamou de ‘inversão de regra’. “Até porque é que a interpretação que eles fizeram é que não haveria tido um estudo epidemiológico para subsidiar o decreto de reabertura, quando a lei federal fala justamente o inverso, ou seja, para que haja a determinação de fechamento de comércio ou qualquer atividade, por um tempo e prazo razoáveis, precisa de um estudo plenamente justificando essa condição e não o contrário. Você ter um estudo para reabrir. Estamos invertendo a regra. A regra é que a atividade econômica tem livre atuação. As leis, a Constituição Federal, inclusive a nova Lei de Liberdade Econômica recentemente entrada em vigor garante tudo isso.” Sindicato garante protocolos de segurança Rodovalho garante que pelo menos por parte daqueles que a Secovi está representando — no caso dos Shoppings Centers – há estudos epidemiológicos de referência internacional e que são referendados pelo Hospital Sírio Libanês. “[Temos] um estudo epidemiológico muito bem feito e é um estudo de segurança acatando as regras internacionais sobre o assunto e que aqui no Brasil foi internado pelo Hospital Sírio Libanês. É o mesmo protocolo de segurança que estão sendo implantados nos Shoppings de São Paulo, Florianópolis, Belo Horizonte, do Recife. Os shoppings pelo Brasil estão cumprindo o mesmo protocolo de segurança que é feito internacionalmente pelos shoppings e nacionalizado com a orientação do Hospital Sírio Libanês, em São Paulo.” Prefeito é a autoridade máxima do município, afirma advogado O advogado também ressalta o poder da caneta que tem o prefeito do município, Iris Rezende. “Não faz sentido jurídico algum você ter o decreto do prefeito que é a autoridade máxima do município sujeito ou sugestionado ao parecer de um conselho que não tem poder normativo, poder deliberativo algum. Ele tem apenas um parecer opinativo. Então você tirar o poder da autoridade máxima do município para um órgão menor para a estrutura do município, o que nem um órgão formal, ele de fato o é. É você subverter toda a lógica jurídica neste momento”, afirma. O advogado não estima uma data para que o desembargador Luis Eduardo de Souza possa analisar o agravo para dar um sinal positivo, mas espera que o faça com “cuidado e carinho todas as provas e argumentações que foram feitas”. No entanto, a expectativa é que seja “o mais rápido possível”, salienta. Reabertura apenas após estabilização do contágio e ampliação dos leitos, defende promotora Na manhã desta segunda-feira (22/06) a promotora Marlene Nunes Freitas Bueno, autora do pedido que garantiu uma liminar anulando o decreto de reabertura do comércio em Goiânia, afirmou em entrevista coletiva à imprensa que o Ministério Público defende que o município deve ampliar a oferta de leitos de UTI e garantir uma estabilidade na taxa de contágio do coronavírus Sars-CoV-2 antes de permitir a flexibilização. Bueno citou a sobrecarga nos leitos de UTI na capital e o avanço rápido da doença para justificar a ação que derrubou a reabertura. Para ela, quando esses indicadores demonstrarem melhora, pode-se pensar em flexibilizações. Ela destacou ainda que o baixo número de óbitos em Goiânia, que embasou a nota técnica anexa ao decreto, não é justificativa plausível. “Na medida em que os leitos forem elevados e houver uma estabilização da curva, quando os números se mostrarem mais estáveis, entendo que é possível reabrir. Não podemos nos ater somente ao indicador óbito. Se eu alegar que o número de óbitos não é expressivo, estou contribuindo para que esse argumento se vire contra mim. Temos que nos ater à velocidade da contaminação, ao número de leitos”, afirmou.

ESTADÃO/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/06/2020 às 22h25

Em um sistema de "drive thru", o elenco do Palmeiras foi submetido nesta segunda-feira a mais uma bateria de testes para covid-19. Os exames do tipo RT-PCR foram realizados em três estações de triagem montadas na própria Academia de Futebol, em parceria com o Hospital Sírio Libanês. O exame é feito a partir da coleta feita nas narinas e na garganta dos jogadores, que não precisaram sair dos seus carros para a realização do teste. Os resultados vão sair nesta terça, de acordo com o clube. No total, foram mais de 50 exames entre a manhã e o período da tarde. "Hoje demos continuidade ao protocolo de retomada das atividades na Academia de Futebol por meio de novas testagens para o coronavírus. Testamos novamente os jogadores, membros de diretoria, comissão técnica e staff. Esse contínuo monitoramento nos permite garantir a segurança necessária para iniciarmos as avaliações físicas. Nosso protocolo tem uma agenda sucessiva de coletas, que inclui inclusive outras testagens nesta semana", afirma Pedro Pontin, médico do Palmeiras. A próxima fase da retomada do Palmeiras será uma série de avaliações do elenco, tanto físicas quanto fisiológicas e bioquímicas. O clube quer saber em que condições os jogadores estão após mais de três meses de paralisação das competições. Os times da primeira divisão do Campeonato Paulista vão poder voltar aos treinos no dia 1º de julho, por decisão do governo estadual. O retorno das partidas, contudo, segue indefinido.

UOL NOTÍCIAS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/06/2020 às 14h17

Os números do novo coronavírus continuam avançando no Brasil. Neste final de semana, o país superou a marca de 50 mil mortos pela covid-19, e segue como o segundo na lista de países com mais casos e mortes em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. A marca fez o jornal britânico The Times incluir o Brasil na lista de países a serem evitados devido à pandemia. Durante a coletiva de hoje, Michael Ryan, diretor-executivo do Programa de Emergências em Saúde da OMS (Organização Mundial de Saúde), abordou a situação do Brasil diante da pandemia e citou dificuldade no rastreamento dos números do país. "Havia uma alteração de como os dados eram relatados, mas se olharmos os casos em junho, eles se estabilizaram com uma redução aos finais de semana. Não sabemos se os dados recentes são artificiais ou a qual período estão associados. Precisamos entender como os testes estão sendo realizados e relatados", afirmou. RJ troca novamente secretário de Saúde Em meio à crise, o Rio de Janeiro perdeu seu segundo secretário estadual de Saúde. Fernando Ferry anunciou hoje a sua saída pouco mais de um mês no cargo. Em um vídeo, Ferry não entrou em detalhes sobre os motivos de sua saída, apenas disse que tentou "resolver os graves problemas" enfrentados em meio à pandemia do novo coronavírus. Quem assume o cargo é o coronel médico do Corpo de Bombeiros, Alex Bousquet. Hoje, o estado iniciou mais uma etapa da flexibilização das medidas de restrição impostas em meados de março para conter a pandemia do novo coronavírus com a retomada do transporte intermunicipal. Bolsonaro enfraquece ministério, diz Teich Os números do novo coronavírus continuam avançando no Brasil. Neste final de semana, o país superou a marca de 50 mil mortos pela covid-19, e segue como o segundo na lista de países com mais casos e mortes em todo o mundo, atrás apenas dos Estados Unidos. O ex-ministro da Saúde, Neslon Teich, vê a pasta enfraquecida durante a pandemia devido ao estilo de governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). "O presidente sempre deixou claro qual a forma de ele liderar e governar. Isso a gente vê nos comentários que ele fez. Quando você não é percebido como liderança, isso enfraquece. Até quando você se relaciona com estados, municípios, parlamento, a percepção de uma não-liderança real, ela enfraquece", disse ao participar do UOL Entrevista. Teich comentou, entre outros assuntos, a sugestão do presidente para invadir hospitais durante a pandemia. Para Teich, foi apenas "uma forma de falar". Estudos: dúvida sobre duração de imunidade e teste com voz os níveis de anticorpos encontrados em pacientes recuperados da covid-19 diminuíram rapidamente dois a três meses após a infecção em pacientes sintomáticos e assintomáticos, de acordo com um estudo chinês, o que cria dúvidas a respeito da duração da imunidade contra o novo coronavírus. Muitos países avaliam permitir que pessoas que tiveram um exame de anticorpos positivo circulem com mais liberdade do que as que não tiveram. O estudo aponta riscos para essa liberação. Outro estudo vem tentando usar a voz como parâmetro para reconhecer pessoas que estejam com a covid-19. Por meio da análise da fala, pesquisadores apoiados pela Fapesp pretendem detectar a insuficiência respiratória, um dos principais sintomas da doença, e identificar mais rapidamente casos suspeitos. Já o laboratório de genômica Mendelics, em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, ambos de São Paulo, está desenvolvendo um teste molecular rápido para poder detectar o vírus Sars-CoV-2. O kit está em estágio avançado de desenvolvimento na UFG (Universidade Federal de Goiás). O exame baseia-se na técnica RT-Lamp, sigla para transcrição reversa seguida por amplificação isotérmica mediada por alça. Suécia é 2º país na Europa em casos por habitantes A Suécia virou motivo de exemplo para o presidente Jair Bolsonaro ao optar por não aplicar quarentena no combate à disseminação do novo coronavírus. Hoje, no entanto, o país se tornou o segundo em casos por 100.000 habitantes da Europa, enquanto seus vizinhos que se isolaram já vivenciam a desaceleração da doença. Espanha decide nesta semana entrada de estrangeiros A Espanha decidirá nesta semana quais turistas de fora da Europa poderão entrar no país, uma vez que os países da União Europeia voltaram a receber viajantes de nações vizinhas na tentativa de ressuscitar a indústria do turismo, duramente atingida pelo isolamento durante a pandemia do novo coronavírus, disse um ministro. A Espanha é a segunda nação mais visitada do mundo, e cerca de um de cada cinco de seus 80 milhões de visitantes anuais vem do Reino Unido. Já Dubai, nos Emirados Árabes, permitirá a entrada de visitantes estrangeiros a partir de 7 de julho, enquanto estrangeiros com visto de residência poderão entrar a partir de 22 de junho, informou o Dubai Media Office no domingo. África dobra nº de casos em menos de um mês A pandemia do coronavírus ganha cada vez mais força na África. Hoje, a OMS (Organização Mundial da Saúde) informou que o continente chegou a marca de 303.371 infecções e 7.999 mortes por covid-19. Apesar de ter um número de casos menor que outros países, o avanço rápido das contaminações preocupa autoridades de saúde locais e mundiais. Política que dá dinheiro de graça funcionaria no Brasil? Especialistas ouvidos pelo UOL comentam se adotar uma política econômica chamada "dinheiro de helicóptero" seria eficiente devido às consequências sociais e financeiras da crise do novo coronavírus. O plano consiste em distribuir dinheiro para todo mundo, sem nenhuma obrigação ou contrapartida, como forma de estimular novamente a demanda e dar segurança às pessoas para ficarem em casa quando necessário. Com a economia do Brasil caminhando para uma queda de cerca de 7% em 2020 e uma inflação por falta de consumo, o dinheiro de helicóptero poderia ser utilizado pelo governo para estimular a atividade econômica, segundo economistas.

NEWS LAB ONLINE/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/06/2020 às 13h23

Teste que possibilita o diagnóstico de Covid mais acessível e em larga escala é desenvolvido por laboratório brasileiro Publicado por jornalismo em 22 de junho de 2020 arte: infobioquimica Desde o início da epidemia, já nos primeiros meses de 2020, a recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) foi de que a melhor forma de controlar a transmissão seria por meio da testagem em larga escala, que ajudaria a evitar o controle de contactantes e o crescimento exponencial de novos casos. O laboratório brasileiro Mendelics, pioneiro em genômica, em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, desenvolveu um novo exame molecular que permite processar dezenas a centenas de milhares de exames por dia, atendendo a uma demanda hoje represada no Brasil. Batizado de #PARECOVID, o novo teste utiliza a metodologia RT-LAMP (Reverse Transcription Loop-Mediated Isothermal Amplification). A partir da simples coleta de saliva do paciente, o teste identifica a presença do SARS-CoV-2 por meio de um teste molecular que reconhece o material genético viral. O método leva apenas 1 hora, o que permite liberar os resultados com grande rapidez. O exame possui uma especificidade de 100% (não foram identificados resultados falso-positivos) e uma sensibilidade comparável ao teste de RT-PCR disponível no mercado. O novo teste utiliza reagentes e equipamentos amplamente disponíveis no mercado e Mendelics e HSL se comprometeram a publicar os protocolos, permitindo que outros laboratórios se juntem aos esforços para que o número de testes possa chegar a centenas de milhares por dia. A estimativa é que sejam processados diariamente cerca de 110 mil amostras pela Mendelics. Com preços mais acessíveis (em torno de 95 reais), e capaz de detectar o vírus sem depender de equipamentos e reagentes atualmente escassos, esse é o teste de maior capacidade de processamento lançado no Brasil até o momento. Neste momento está sendo realizado projeto piloto com 50 mil vidas. “Assim que começou a pandemia todos reconhecemos que deveríamos pensar em soluções que contribuíssem para o bem-estar de toda a população. O novo teste alivia a demanda reprimida e viabiliza a testagem em larga escala e sistemática no Brasil”, diz Laércio Cosentino, presidente do conselho da Mendelics. A maior parte dos exames existentes que identificam o vírus SARS-CoV-2 coleta a amostra por meio de um swab nasal longo (um tipo de cotonete alongado) para chegar até a garganta e obter amostras das secreções. Esse ato causa um movimento involuntário que pode expelir o vírus aumentando o risco de infecção para os profissionais da saúde. A partir do método aperfeiçoado pela Mendelics, o próprio paciente realiza a coleta de amostras de saliva em um tubo estéril, resolvendo ainda o problema de demanda de kits de coleta nasofaríngea, fator que tem limitado diretamente a capacidade de coleta e testagem no Brasil. “O exame da Mendelics endereça alguns obstáculos que dificultaram uma testagem mais abrangente no Brasil. Por ser realizado na saliva, ter um poder de processamento muito rápido, que permitirá realizar mais exames em menos tempo, podendo oferecer aos brasileiros ferramentas que permitam controlar melhor a transmissão dessa infecção”, explica Luiz Fernando Lima Reis, diretor do Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa. A técnica inovadora depende de equipamentos já utilizados por grande parte dos laboratórios e o método poderá ser replicado por todo o território nacional. Ao final do projeto piloto, o protocolo do novo teste será publicado e disponibilizado. “Nosso objetivo é que todos os laboratórios possam reproduzi-lo com seus próprios equipamentos para que, juntos, possamos processar milhões de testes diariamente e, assim, retomar as nossas atividades econômicas e sociais em segurança o mais brevemente possível. Estamos enfrentando uma das maiores crises de saúde mundial da história e desenvolver uma solução para a testagem em larga escala, publicando-a gratuitamente para que todos possam se beneficiar do método, é nossa obrigação. O momento é de união e pede solução universal.” explica David Schlesinger, médico, CEO e fundador da empresa. Durante o período de desenvolvimento do novo teste, foi realizada extensa comparação laboratorial e validação entre os resultados de RT-PCR, técnica recomendada para o diagnóstico da Covid-19, em parceria com o Hospital Sírio-Libanês. Essa validação mostrou que o teste da Mendelics tem alta sensibilidade para detecção do vírus, equivalente ao RT-PCR, e supera os obstáculos que limitam o escalonamento deste e outros tipos de testes. Como resultado, a capacidade de testagem diária é de 110 mil amostras, sem depender de reagentes de RT-PCR, que também estão em falta no mercado mundial. Essa capacidade de testagem é muitas vezes superior aos testes lançados até o momento. A Mendelics tem uma parceria com o Hospital Sírio-Libanês para a realização do exame, que já está disponível para alguns parceiros. Amostras podem ser coletadas de todo o Brasil para a realização do exame, e o processamento, por enquanto, será feito exclusivamente em São Paulo. Os resultados serão postados em sistema fechado online para que os médicos tenham o laudo de forma rápida e precisa. “A parceria na área de pesquisa da Mendelics com o Sírio-Libanês é mais uma vertente do nosso trabalho de gerar e compartilhar conhecimento, e nos ajuda a fomentar inovação num momento tão desafiador, trazendo excelência e acesso à saúde para a população brasileira para ajudarmos a construir uma sociedade cada vez mais solidária”, diz Paulo Chapchap, diretor geral do Hospital Sírio-Libanês. Com informações de Medicina SA. Compartilhar

TERRA/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/06/2020 às 09h17

Afastado da Academia de Futebol desde o último mês de março, o Palmeiras enfim retorna ao centro de treinamento nesta segunda-feira. Na véspera de iniciar uma série de avaliações com seu elenco no local, o clube realizará a segunda rodada de testes para covid-19. Na última quinta-feira, no Hospital Sírio-Libanês, o Palmeiras testou 30 jogadores para covid-19 e apurou apenas um resultado positivo - o atleta não teve sua identidade revelada e ficará fora da reapresentação. O protocolo elaborado pelo clube inclui a repetição do procedimento entre elenco e integrantes do estafe nesta segunda. Outros três jogadores também tiveram resultado positivo durante o período sem atividades, mas já estão recuperados e, após uma série de exames cardiorrespiratórios complementares, foram liberados para as avaliações. Os quatro não apresentaram sintomas e Gustavo Gomez é o único que ainda não fez os exames. Em seu centro de treinamento, a partir de terça, o Palmeiras realizará uma série de avaliações físicas, fisiológicas e bioquímicas. Com os dados, a ideia é averiguar e corrigir as perdas e deficiências causadas pelo longo período de isolamento social em cada atleta. Na Academia, os jogadores passarão por medição de temperatura corporal, questionários clínico e de bem-estar, aferição do peso corporal e medição do percentual de gordura. Também estão previstas coleta de CK e avaliação da qualidade de movimentos, do equilíbrio muscular e da potência dos membros inferiores. O Palmeiras planeja ainda realizar testes no campo de força e de resistência. Os procedimentos, de acordo com o clube, foram adequados para mitigar o risco de contaminação e garantir o máximo de segurança aos profissionais que participam da rotina da equipe.

UOL NOTÍCIAS - ÚLTIMAS NOTÍCIAS/SÃO PAULO
Data Veiculação: 22/06/2020 às 04h00

Um novo teste molecular rápido para detecção do vírus Sars-CoV-2 foi criado pelo laboratório de genômica Mendelics em parceria com o Hospital Sírio-Libanês, ambos de São Paulo. Kit de diagnóstico similar encontra-se em estágio avançado de desenvolvimento na UFG (Universidade Federal de Goiás). O exame baseia-se na técnica RT-Lamp, sigla para transcrição reversa seguida por amplificação isotérmica mediada por alça. Ele é fundamentado na amplificação do RNA viral, o mesmo procedimento empregado nos exames moleculares RT-PCR (transcrição reversa seguida por reação em cadeia de polimerase), considerados o padrão ouro para covid-19. O novo teste, de alta sensibilidade, é capaz de identificar a presença do vírus desde os primeiros dias de infecção. O teste da Mendelics e do Sírio-Libanês é mais simples de ser processado, rápido e barato do que o RT-PCR. Segundo seus desenvolvedores, utiliza saliva como amostra para o diagnóstico e fica pronto em uma hora. Tem 80% de sensibilidade (capacidade de identificar o vírus em pacientes contaminados, evitando falsos negativos) e 99% de especificidade (capacidade de identificar corretamente os indivíduos que não têm a doença, evitando falsos positivos). Com estimativa de processamento de 110 mil amostras por dia, o exame já está à disposição de parceiros das duas instituições, como empresas que queiram testar seus funcionários? num primeiro momento, portanto, não se destinará ao público geral. Custará R$ 95, menos da metade de um teste RT-PCR. O baixo custo e a rapidez de apresentação dos resultados podem ajudar a elevar a testagem no país. O kit em desenvolvimento na UFG é similar ao feito em São Paulo. "Usamos amostras de swab [espécie de cotonete que coleta material do fundo do nariz ou garganta] ou saliva. Elas são colocadas em um microchip e o resultado se dá por colorimetria. Se acusar a presença do vírus, o material testado fica com a cor verde fluorescente", afirma a química Gabriela Rodrigues Mendes Duarte, do Grupo de Pesquisa em Biomicrofluidica do Instituto de Química da UFG. A reação de amplificação do RNA pelo RT-Lamp, segundo a pesquisadora, ocorre em 10 minutos e o teste fica pronto em menos de duas horas. Para sua execução, utilizam-se um dispositivo portátil e descartável e uma quantidade pequena de amostra e reagentes? são empregados de quatro a seis primers (segmentos de ácidos nucleicos necessários à replicação de RNA/DNA) que reconhecem entre seis e oito regiões distintas do RNA viral. "Criamos uma ferramenta de diagnóstico rápido para aplicação point-of-care, ou seja, no campo, e não em um laboratório altamente equipado", explica Duarte. RT-PCR: caro e sofisticado os exames baseados em RT-PCR, por sua vez, necessitam de aparelhos caros, mão de obra qualificada e insumos que hoje estão em falta no mercado. Além disso, seu processamento é feito em várias etapas, o que faz com que demorem, em média, de sete a oito horas para serem concluídos. Com o elevado volume de testes para covid-19 realizados no país nos últimos meses, os resultados têm levado dias para ficar prontos. "Para provar a viabilidade da técnica para o novo coronavírus, trabalhamos com um número pequeno de amostras, pouco mais de 10 unidades. Agora, vamos partir para a validação final de um modelo comercial com um número maior, em torno de 500. Se tudo correr bem, finalizaremos o desenvolvimento em dois meses. A tecnologia, idealmente, deverá ser transferida para uma empresa interessada em produzi-la em larga escala." O trabalho contou também com a participação de pesquisadores do Laboratório de Genética Molecular e Citogenética do Instituto de Ciências Biológicas da UFG. Um artigo detalhando o estudo foi submetido à revista Biosensors and Bioelectronics e encontra-se em revisão. Oxford e Harvard Cientistas da Universidade de Oxford, na Inglaterra, em colaboração com colegas chineses, e da Escola de Medicina da Universidade Harvard, nos Estados Unidos, divulgaram nos últimos meses terem criado kits para detecção do Sars-CoV-2 com a mesma técnica usada pela UFG. "Validamos o método RT-Lamp em um hospital da China, empregando 16 amostras clínicas, sendo oito positivas e oito negativas [para Covid-19]", escreveram os pesquisadores de Oxford em artigo publicado na edição de abril da revista Microbial Biotechnology. "Os resultados dos testes são consistentes com os do RT-PCR." A existência de um teste rápido point-of-care para diagnóstico da covid-19 em pessoas portadoras da doença, sustentam especialistas, pode tornar mais efetivo o enfrentamento da pandemia. Hoje, os únicos exames rápidos disponíveis detectam os anticorpos IgG e IgM em indivíduos que já foram infectados pelo novo coronavírus. Como o teste RT-PCR leva muito tempo para ficar pronto, dificulta a decisão de isolar os doentes e o rastreamento efetivo de seus contatos. "O RT-Lamp é um método muito promissor por sua simplicidade e facilidade de realização. Vejo com bons olhos a iniciativa de desenvolver um teste no país com essas características? declarou a Pesquisa FAPESP o virologista Fernando Rosado Spilki, membro do Laboratório de Microbiologia Molecular da Universidade Feevale, em Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, e presidente da SBV (Sociedade Brasileira de Virologia). Spilki ressalta, no entanto, que, para se tornar um produto comercial, o teste requer uma padronização muito rigorosa que o torne capaz de detectar pacientes com diferentes cargas virais. "A prova de fogo do exame que está sendo desenvolvido na UFG será a validação em um número maior de amostras. Indivíduos com covid-19 excretam diferentes cargas virais", afirma. "O desafio de qualquer teste é detectar a presença do Sars-CoV-2 naquelas pessoas que possuem baixa carga viral."

FOLHA DE PERNAMBUCO/RECIFE | GERAL
Data Veiculação: 22/06/2020 às 03h00

Shoppings reabrem hoje para o público após mais de 90 dias, os centros de compras da RMR retomam as atividades presenciais. O horário está reduzido. O acesso vai ser controlado e haverá restrições na quantidade de pessoas dentro das lojas. Também a partir de hoje a construção civil passa a funcionar com 100% dos trabalhadores. Atividades religiosas estão liberadas. » COTIDIANO PÁGINA 7» ECONOMIA PÁGINAS 9 E10 0 MUNDO EM ALERTA RAFAEL FURTADO Shoppings reabrem hoje com cautela e sem festa8Reabertura acontecerá na quarta etapa das onze previstas pelo Governo do Estado para a retomada econômica Centros de compras funcionarão em horário reduzido e com medidas de segurança sanitária reforçadas MATHEUS JATOBÁ Após mais de 90 dias fechados, os shoppings da Região Metropolitana do Recife (RMR) vão retomar as atividades presenciais de forma gradual a partir de hoje, em horário reduzido, das12h às 20h. Antes com o atendimento por meio de vendas online e retirada dos pedidos nos estacionamentos, uma nova realidade chega para o segmento. Agora, o controle de acesso, medidas de higiene e restrições na quantidade de pessoas nas lojas, são algumas das obrigações que deverão ser seguidas. A reabertura dos centros de compras faz parte da fase 4-4 do Plano de Convivência com a Covid-19, do Governo de Pernambuco. Nesta etapa, as demais lojas do varejo de rua também voltam a funcionar, das 9h às 18h, horário já determinado para os estabelecimentos com até 200 metros quadrados, que retornaram na última semana. A construção civil, que estava operando com 50% da sua carga desde o dia 8, passa a funcionar com100% do efetivo em todo 0 Estado. Os shoppings centers só não reabrirão nos 85 municípios da Zonada Mata e Agreste que ainda apresentam alta incidência da Covid19. Na RMR, os empreendimentos, retornarão as atividades com apenas 30% da sua capacidade, permitindo apenas um cliente para cada 10 metros quadrados de área de circulação. Já nas lojas, a regra é de 20 metros quadrados para cada cliente. As praças de alimentação permanecem por delivery ou retirada no local, como era feito anteriormente. As lojas seguem o protocolo do comércio de varejo de rua, que entrou em vigor na última semana. De acordo com a secretária executiva de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Maíra Fischer, os shoppings vão seguir um protocolo específico e as lojas, outro diferente. Ela ressalta a importância de a reabertura ser por etapas. “A ideia é fazer de forma gradual, e isso implica no funcionamento. De início vão entrar com horário diferenciado, com quantidade de pessoas controladas. 0uso da máscara será obrigatório e não poderão funcionar o vallet parking, distribuição de carrinho, tudo isso para evitar contaminação. Nas lojas é preciso disponibilizar álcool em gel e seguir os protocolos do varejo”, afirmou. De acordo com 0 presidente da Associação Pernambucana de Shopping Centers (Apesce), Paulo Carneiro, 0 segmento adotou além do protocolo do Governo do Estado, recomendações da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce). "Foram 93 dias fechados e reabrimos com um horário reduzido nas lojas. Mas alguns departamentos, como bancos, clínicas e lotéricas, abrirão mais cedo. Adotamos um protocolo baseado no Hospital Sírio Libanês, vai haver um reforço da higiene nesse momento. Abrindo agora ainda dá pra salvar algo, é um passo e esperamos lucrar algo ainda com o São João, afinal os shoppings estão prontos para atender todos”, pontuou. No Shopping Recife, a expectativa é positiva e a superintendente do centro de compras, Danielle Viana, diz que as medidas são preventivas e devem ser seguidas. “A expectativa existe, afinal são 90 dias fechados. Essa volta tem que ser norteada pelas medidas de segurança,0 foco é a segurança dos clientes, colaboradores, lojistas, e temos a consciência disso tudo”, disse. A gerente de marketing do Rio Mar Shopping, Denielly Halinsky,afirma que no shopping as medidas foram pensadas antes mesmo desse momento chegar. “0 Rio Mar está preparado, estamos trabalhando nos bastidores. Para 0 cliente vai ser uma experiência mais segura, desde a hora que chegar no estacionamento até os corredores”, destacou. 0 Shopping Guararapes observa are abertura antes do São João como sendo importante, “A ansiedade estava grande por nossa parte e dos lojistas, foi boa essa antecipação. Temos que seguir as regras para evitara propagação, esperamos que o consumo seja superado”, disse 0 superintendente Newton Souza. CONTINUA NA PÁGINA 10 CONTINUAÇÃO DA PÁGINA 9A superintendente do Shopping Tacaruna, Sandra Arruda, afirma que o uso da máscara de forma correta será verificado como algo primordial pelo mall. “A expectativa é grande, é um ótimo recomeço. Precisamos de cautela e responsabilidade nessa nova rotina, não será um momento de abertura e de festa. Estaremos atentos à questão das máscaras e priorizando todo o protocolo”, contou. O Plaza Shopping adota uma novidade para essa reabertura gradual, criando um canal de comunicação com os clientes, o Plazapp, por meio do número (81) 9 96001133. 0 objetivo é gerar mais praticidade, como conta a superintendente Zuleica Lira. “Nosso objetivo foi alinhar o nosso compromisso com medidas de segurança e de higiene, que serão redobradas para garantir a saúde dos colaboradores e dos clientes”, disse. No Paulista North Way Shopping, o superintendente Marco Motta aponta que a divisão das quatro entradas do mall serão divididas. “O shopping possui quatro entradas, durante o retomo utilizaremos apenas três. Uma exclusiva para a Caixa Econômica Federal, e outras duas para ida e vinda do cliente. Queremos mostrar aos nossos clientes que contamos com um ambiente seguro” pontuou. Cuidados A volta aos shoppings exigirá um cuidado maior por parte doconsumidor. Especialistas apontam quais medidas de prevenção devem ser tomadas para minimizar a possibilidade de contágio pelo novo coronavirus. 0 infectologista da Interne Soluções em Saúde, Raphael Dos Anjos, recomenda como principal cuidado a ida ao shopping somente em caso de necessidade. “O principal conselho é só ir se for necessário. A máscara artesanal dura duas horas e, após esse tempo, deve ser trocada por uma limpa. Se for ao shopping, é bom ter uma noção de quanto tempo vai ficar e levar mais de um amáscara para trocar, se for necessário. Ao chegar em casa é bom também ter uma ‘área suja’, para higienizar os produtos e assim, guardar da forma correta”, aconselhou. De acordo com o médico infectologista do Hospital Universitário Oswaldo Cruz, Filipe Prohaska, é importante o cumprimento das regras pelos consumidores e pelos estabelecimentos, para que riscos sejam minimizados. “Tem todo um processo envolvido, afinal existirá um fluxo de pessoas nos locais e as informações devem ser claras para todos. A ideia é sempre minimizar os riscos, não tem como estar 100%protegido. É se prevenir usando máscara, evitar o contato com objetos, com estruturas metálicas, e não levar a mão ao olho”, recomendou. Prohaska aconselha ainda que os elevadores sejam destinados para pessoas com dificuldade de locomoção. “0 elevador é um local crítico, é preciso deixar para quem precisa realmente utilizar, e a restrição nele deve ser ainda mais rígida. Esse é um momento que temos que ter paciência, pedir para que as pessoas obedeçam às informações, o distanciamento, higienização, e cobrar das lojas medidas de prevenção. ”PROTOCOLO DA ABRASCE PARA OS SHOPPING CENTERS >■ Quaisquer atividades que possam gerar concentração e consequente aglomeração de pessoas em mesmo espaço e horário devem ser suspensas. ■ Mantenha suspensos os eventos. Não promova atividades que possa me atrair grande número de público. ■ Funcionários do shopping e lojistas devem utilizar máscaras. Profissional sem contato direto com o clientes devem adotar o face shield. ■ Funcionários do shopping que estejam no grupo de risco devem permanecer em home office. ■ Aferição de temperatura. Utilize termômetros sem contato para aferir temperatura dos funcionários e clientes que ingressarem no Shopping. Quem estiver com temperatura acima de 37,2° e/ou mostrar sintomas de gripe /resfriado será orientado a buscar ajuda médica. ■ Uso de máscaras pelos consumidores e frequentadores. ■ Não promova evento de reabertura do shopping. O momento é de restabelecer a confiança do consumidor, não buscar fluxo intenso. ■ Oriente os consumidores sobre a importância da desinfecção das mãos por álcool gel e a lavagem com água e sabão. Disponibilize dispensas de álcool gel para uso dos clientes em diferentes áreas do empreendimento. ■ Aumente a frequência de desinfecção das áreas públicas. Reforce a frequência da higienização das áreas comuns e das superfícies de grande contato, como interior e painel de elevadores, corrimãos de escadas e escadas rolantes, balcões de informação, sanitários, áreas de descarte de lixo etc. ■ Mantenha todos os canais de comunicação da empresa abertos e com rápido atendimento. do ar-condicionado. ■ Realize controle de acesso de clientes estabelecendo o distanciamento entre pessoas. Evite formação de filas e, se necessário, faça demarcações e sinalizações no piso. ■ Isole áreas do shopping para reduzir o fluxo de pessoas. ■ As lojas seguirão os mesmos protocolos estabelecidos para o comércio varejista