Confira o que os especialistas do Hospital Sírio-Libanês já falaram na imprensa sobre o novo Coronavírus:

METRÓPOLES/BRASÍLIA
Data Veiculação: 02/08/2020 às 21h33

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), está internado no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, para o tratamento de uma infecção pulmonar. Segundo boletim médico divulgado neste domingo (2/8), Mendes está recebendo antibiótico por via venosa e ainda não há previsão de alta. “O paciente está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Prof. Dr. Roberto Kalil Filho e pelo Prof. Dr. Carlos Carvalho”, diz a nota. No início de junho, o governador foi diagnosticado com o novo coronavírus. Sem apresentar sintomas, ele optou pelo isolamento domiciliar, trabalhando via videoconferência. No final do mesmo mês, foi anunciado que Mendes curou-se da Covid-19 com o uso de ivermectina e azitromicina. O próprio governador teria mudado sua opinião sobre o assunto, passando a incentivar a população a buscar o serviço de saúde o mais rapidamente possível, assim que sentir os sintomas da doença.

R7.COM/SÃO PAULO
Data Veiculação: 02/08/2020 às 21h01

Governador de Mato Grosso, Mauro Mendes Secom - MT / Divulgação O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM), internado neste sábado (1º) para tratamento de uma infecção pulmonar, está sendo tratado por meio de antibiótico por via venosa e ainda não há previsão de alta, segundo boletim médico do Hospital Sírio Libanês, de São Paulo divulgado neste domingo (2). O paciente está sendo acompanhado pelas equipes médicas coordenadas pelo Prof. Dr. David Uip, Prof. Dr. Roberto Kalil Filho e pelo Prof. Dr. Carlos Carvalho. Mendes passou mal depois de uma reunião de trabalho em São Paulo, onde foi levado para um hospital. No início de junho deste ano, Mendes foi diagnosticado com a covid-19. Leia a nota do governo do Mato Grosso: O governador Mauro Mendes teve uma indisposição em São Paulo, após uma reunião de trabalho. Ele buscou atendimento junto ao seu médico que o acompanha desde o transplante de rim. Após uma bateria de exames, foi constatado que o governador está com pneumonia. Ele foi internado, por recomendação médica, para receber a medicação e passa bem.

FANTÁSTICO/TV GLOBO/SÃO PAULO
Data Veiculação: 02/08/2020 às 20h37

O Brasil perdeu esta semana nosso querido apresentador e colega, Rodrigo Rodrigues, a morte precoce do Rodrigo mostrou que a COVID-19 não é apenas uma doença dos pulmões, ela pode chegar a outros órgãos como o cérebro que foi o caso do Rodrigo. Mas como e por que isso acontece anos fez o teste acidental teria apresentado semana e nesta edição, além de ser a favorita na disputa de poder nos levem e quarenta e cinco, o anos, o jornalista músico, os fanáticos pelo Flamengo e quatro caras de Liverpool, peguei uma grande luz do número de E. E eu me lembro que a gente eu ouvia muito o que é muito e todos os dia por aqui na época, não é essa coisa de lidar com ele com a música era muito presente. E Janaína prima do Rodrigo e mesma idade eram como irmãos e outros tipos de outros estilos diz este mais participou dos meus ouvidos pelas mangas. Sábado, retrasado muito, Rodrigo, ligou para Priscila irmã, da China e a ter uma emergência com Rodrigo, pedir para que ela levasse o caminho para o hospital por anos, mas não sabia. Hoje está mais próximo o de que estava com os pais não estava sozinho em casa, os pais receberam a ligação e viram que ele estava desorientado e aí foram dá a menor foram São Paulo. Chegando ao hospital na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, o quadro ainda não parecia tão grave pesar. Desorientação chegou lúcido conversando e a evolução do quadro de evolução subiu ante que assustou a todos nós. No início da pandemia ainda se pensava que a couve de dezenove era só uma doença respiratória, mas numa vídeo ao lado daquela época esta pneumologista da USP já relatava casos surpreendentes, o pezinho. A minha paciente com rosto de beldades como tive um fenômeno tão bote que o periférico e nessa hora, ele e Marina o dedinho dela no final do dia depois de uma sete seis sete anos, estava Rosinha. Marina é um anticoagulante ali os médicos começaram a decifrar a charada, o a síndrome respiratória era só uma das muitas possíveis manifestações. A convite dizendo, além do pulmão, a gente tem um comprometimento de outros órgãos, coração, rim e o que está acontecendo nesses anos e micro trombose termos da Micro circulação, um corpo tudo pode ser evitado. Lembrando que o tornou um estudo amplo arejado sindicato de mim, por isso que eu estou sem máscara nessa situação controlar anos até aqui para mostrar que se conforma. E para mostrar que as consequências da corte de dezenove podem literalmente e dos pés à cabeça e os pés pode provocar aqueles dedos ao xará dos inchaço vermelhidão na pele nas pernas, a dor muscular fadiga problemas digestivos também náusea vômito. Também existem consequências no fígado e são relativamente comuns, problemas de rins para tentar estado grave isso porque coágulos aparece e atrapalham até. A filtragem do sangue na máquina que faz aí mundiais os problemas respiratórios, a gente já sabe eles são a face mais visível da dois nd consequências cardíacas, nos casos mais graves podem aparecer coágulos que provocam um fardos no caso do Rodrigo, as consequências chegaram ao cérebro, tudo isso mostra que a couve de dezenove é muito mais grave. Do que uma simples doença respiratória e nenhum as complicações podem surgir dando por ação do próprio vírus quando indiretamente por um disco, um do olho no nosso sistema imune que passar. Vasos sanguíneos em um carro na BR cento e eles Xu Lin em que vinte e três nenhum. Sem informar que nesta situação de ar seco que cobre o café diz Kano fica exposto o tecido conjuntivo que a única medida a morte dos congressistas e o ar no meio desses em que isso acontece o que é isso. Mas foi incluída qualquer órgão de mais danos podem acontecer ativa a cascata da coagulação que são proteínas do sangue dessas proteínas são ativados de forma desnecessária e isso leva a um quadro que chama de para outro bom, ou seja uma situação, ele é dispor indevida desenvolver trombose com Rodrigo e um votos e foi uma veia do cérebro e se trancou as interrompe a drenagem do sangue dentro da cabeça. Esse ele começa a aumentar a pressão na cabeça e isso é uma série de consequências como contam as primas tudo aconteceu, de repente, meio-dia de sábado, eles armados. Tem horas eram quando o ator Tiago perguntando, pedindo onze às seis horas de março e se ele se a gente continua a investigação de um que houve uma piora na área do inchaço no cérebro e daí foi a cirurgia que ele fez para aliviar a pressão do cérebro, mas, infelizmente não nos últimos cinco chegaram a recuar nos alguma outra região que a gente fez o exame de ultrassom deixados na perna, identificamos também que um bom hoje, em uma vez que o Rodrigo. O que aconteceu com ele é muito raro, mas como. Realmente é que as complicações estão mortos ou a Christine fala aconteceu dias depois do início do pódio já com o quadro mais grave de ouvir de novo, está logo. Mas Rodrigo, passou quinze dias com sintomas leves só sentiu enjoo e perda de um fato de paladar e o paladar a bater voltando só que na Itália com ele brincava aqui tudo o que comia de Agosto de vírus e conversando por telefone com um médico de confiança e ficou isolado em casa não se internou mesmo que Rodrigo estivesse internado que estivessem sendo feito o dois a um gramas por dia. Não dá para garantir que ele teria sobre a absolutamente mama mesmo nos pacientes que a gente faz um anticoagulante profilático eu terapêutico em alguns desses pacientes não estão e nunca me vi isso o desenvolvimento e chama no show morte. O caso do Rodrigo, o sobrepeso pode ter influído. Os dias e eles a alta dos juros de três em assim, muito mais do que seis dias em qualquer. Ele dar o combate das incertezas no prognóstico de convites em nome foi publicado esta semana numa revista muito importante, o estudo que buscam nos exames de sangue dos primeiros dias sinais do que pode acontecer mais adiante, um desses sinais são chamados de marcar duras. Nessa fase inicial já existem marcadores no sangue e que eles em dívidas que você consegue predizer qual vai ser a trajetória desse indivíduo, se ele vai desenvolver uma doença severa, uma doença moderada e E para detectar logo no começo. Que pode vir a ter um quadro grave e lá na frente e o Rodrigo Rodrigues. É como se o sistema numa fase Taiti e o sistema de defesa, ele fica disse o organizado como se estivesse com um fuzil com que a gente tenta mostrar é que além de focar, não só na resposta o controle integral com o uso de antivirais e também focar no controle dessa resposta inflamatória excessiva que acontece nos paciente no momento estar mentindo. Rodrigo, para quase noventa e cinco mil brasileiros já morreram de vinte dezenove com essas inovações da ciência que vão salvar vidas humanas, felizmente, não chegaram a tempo nem mais as memórias de um ano de cada um que morre no nosso meio e é uma pessoa com muitas histórias como os do Boa praça Rodrigo de Lima, da China e na índia a Priscila, que deram entrevista no quarto dele nos tempos de menino se tivesse de escolher se uma lembrança insistente Rodrigo Janot. E mais marcante assim, é porque e duas primas a sua única tricolor mas um bullying na ru não houve gol de barriga não uma casa da os me. Nós estamos assistindo a um na casa do Rodrigo, e aí quando o Flamengo empatou e ocorrido banheiro para chorar porque eu sabia que não prima minha irmã e onze e encarnar em mim. E aí quando nada os fez mudar minha vida e a minha vez que isso aí é hora de ler no banheiro e uma boa lembrança de ler no meu aniversário de quinze anos em uma casa de empreend de Cambridge alça, né, a gente ganha ele não são mesmo de ir e vir já que agia na em alguns que estão vindo mais um pouco de Levy e preferida do jornalista. Carioca de atingir flamenguista, menos de um por mês, uma canção que a mãe dele, a dona Sônia pediu para a gente incluiu nesta reportagem, que também uma homenagem.

GLOBONEWS ESPECIAL/GLOBONEWS
Data Veiculação: 02/08/2020 às 20h21

A morte precoce do nosso querido colega Rodrigo Rodrigues, jornalista do canal SportV comoveu o Brasil aos quarenta e cinco, o anos, o Rodrigo teve uma trombose cerebral complicação do novo coronavírus passou por uma cirurgia ficou dias internado, mas não resistiu, infelizmente, não é um caso raro a cada dia mais claro para os médicos que a COVID-19 é uma doença que vai, além do sistema respiratório e afeta o corpo como um todo a resposta inflamatória intensa em casos graves afeta muito o sistema circulatório para entender melhor esses efeitos e como tentar evitá-los a gente vai conversar mais uma vez. Com a doutora Margareth Dalcolmo hoje estão na para né grid o Hospital das Clínicas e do sírio-libanês, em São Paulo, muito obrigada a participação das duas especialmente tutorial nada por participar aqui conosco dessa desse desses esclarecimentos são tão fundamentais, né. Doutora na hora e já não é de agora que a gente escuta a algo com relação à convide e circulação sanguínea desde o início nada foram nada se fala muito da correlação entre a convide e problema circulatório usou alguma coisa ligada à Al ao a toda a circulação sanguínea. E agora cada vez mais fica evidente. O que que a gente pode entender nesse momento antes que todo mundo começa a comprar remédio ou hasta sete salas Cine o famoso Aécio na farmácia adianta ficar fazendo esse tipo de coisa. Lanzini que ia entrar em minhas colegas e meus amigos, muito obrigada pelo convite é super importante esse papel de esclarecimento da população não adianta comprar lá e se ele não vai te ajudar e mecanismos da doença e o outro é um mecanismo de destruição das células de revestimento pulmão e tanto da parte do onde continuará em divulgou uma parte do onde o sangue circulando o que então essas duas esses dois lugares, eles ficam desencapados e a gente está conseguindo entender isso muito melhor agora do que já partiu para os estudos nome, Cristo eletrônica com a ajuda da profissão e Claude ir a lugares em medicina e registro conseguindo vem essa mil e cinco e não, como é que ela é ficar com com eles. E este crime não é capaz de que esses processos, mas uma coisa isso acontece em uma minoria de pacientes a manterem de maioria oitenta e cinco por cento dos pacientes em Porto Alegre, o mar não é um ano e com esse aí, quando habilidade desses três são de que eles a origem do TRE e respiratório depois de todo o são quinze por cento dos pacientes a penas que podem evoluir para essa fase e desses quinze por cento e cinco por cento e os que nos têm por base um que capturar os dados, então, não se Auto medir que se esse você não tiver se você fizer parte dos trinta e cinco por cento das pessoas que não tem isso ocorreu pelo sétimo dia, você tem que ficar de olho no Sul e China são os de oxidação tons continuar ou se se trata em nada muito importante para o segundo e remédio por conta própria, porque você pode ser grave e morreu sem Grando, se você não tiver nesse quatro que a comilança e um que trata, não é, mas é a por enquanto a gente está estudando, mas o que tem maior poder entre o jato a isso são dados de cartões de derivados e vem. Doutora Margaret o que iria tratar de um assunto com a senhora que também ronda muito todas as as rodas de conversa com relação houve de dezenove que a vacina da BCG e a vacina BCG que é muito habitual no Brasil todo mundo tem aquela marquinha ali no braço e na parte das pessoas pelo menos é que ela marque ela poderia ajudar muito aí em casos de pessoas são infectadas pelo novo coronavírus que a senhora tem a dizer sobre essa vacina. Sicília com os meus chão sumiu. Citando eu vendo locutora da Cultura Margarete a venda agora. A água agora vou ter que ouvimos, é agora, vou te amar ali de ouvir a pergunta sobre o BC age para ver é uma na verba para o. Na verdade, eu não boa noite é uma hora e querida amiga e Sicília, na verdade, a vacina BCG e seis histórias se a opinião pública, porque têm surgido muitos trabalhos agora que têm tentado responder um dilema na verdade que são estudos que a gente chama ecológicos na o dilema ecológico e epidemiológicos se naqueles países em que a vacinação de Sergipe. Mandato, olha como no Brasil, ao contrário dos Estados Unidos Itália, país onde a vacina BCG os não achei que ela nunca e outros países onde ela foi feita e deixou de ser feita como a China, por exemplo, por exemplo, se a diferença de incidência de mobilidade de número de casos em nesses países em que houve essa vacinação em massa, a China decide ela chegou ela usava no Brasil há muito tempo e desde mil novecentos e setenta e dois, onde ela era feita por forma oral em mil novecentos e que até a década de sessenta era feita por forma oral e de setenta e dois para cá e setenta e seis, ela virou por força que normativa do Ministério da Saúde, quase que mandato hora para todo o recém-nascido desde que nasceu com dois quilos de peso, mas a sina desse dia ela protege contra formas graves de tuberculose só nos disseminada e sistema nervoso central meningite e sim pela série com isso, mas ela também tem uma ação em um no modo Lador, digamos assim, disse que permite que e estudos possam conjectura acho que ela eventualmente pudesse formação protetora impostos populações deverão ser estudadas grupos como aliás, inclusive no Brasil e vai ser iniciada agora, acaba de ser iniciado no Mato Grosso do Sul, uma pesquisa chancelada pela Organização Mundial da Saúde e isso é absolutamente Sicília não quer dizer que adultos têm que tomar a vacina BCG vacina BCG não tem o menor sentido não ter demonstrado e nem ninguém pode a um posto de saúde dizer que quer tomar, BCG porque ninguém nem vai aplicar que a política de vacinação do CGE é para recém-nascidos conferindo uma proteção contra a tuberculose que ao longo do tempo, mas perdendo sua própria memória imunológica, como nós chamamos, então esse alerta em por conte por que esses estudos um ditos ecológicos e estudos prospectivos que um começam assim um sujeito os ao longo do mundo, inclusive no Brasil deverão dar alguma resposta, mas esse alerta importante sua pergunta, foi muito pertinente nesse momento. Essa planta produtora não nada agora com relação a um outro tópico que foi muito falado essa semana com relação à obesidade e ao sobrepeso do caminhão, nada é uma coisa é a gente falar sobre o aspecto físico de beleza que não tem nada a ver com aspecto de saúde, muitas vezes, as pessoas acham que um bom exame de sangue de uma pessoa obesa com sobrepeso é suficiente para garantir que ela não pode ter que ela não vai ter problema nenhum. No entanto, tem Aparecido uma correlação entre a convite e a obesidade, especialmente para quem tem o IMC acima de trinta. Eu queria que a senhora falar um pouquinho sobre Deus. Oi lança Síria, então é realmente a obesidade é um fator de risco para os independentes de mais de cem pessoas jovens, porque a gente não sabe direitinho por que algumas algumas e no braço e estudos. A polícia fez a respeito da Cultura, que é muito é promotora da inflamação no tecido ao ela tem a gente temos que ser assinado este o mote do sim nas raízes sulistas e elas estimula a inflamação, então fui me ligou, ele mais inflamado que o que os outros se fará isso e esperar o ônibus em disfunção da Inglaterra já puro e a alteração dos Lipe e os que circulam no sangue quente. F m i A e ainda tenho que dizer que a renda este mente dos fatos, o paciente obeso, ele é mais suscetível a mais e não pela cor e isso é ainda um uma para se estudar, mas essa é uma coisa os planos em vez de se pensar, mas sim, com certeza, a verdade é um risco importante para a quadro grave. E agora quer lutar para voltar à Margarete com relação à tipo sanguíneo, muita gente tem falado sobre os tipos a do pno qual tem mais chance qual tem menos chance, doutora Margaret que a gente atende estudo falando sobre isso sobre a variação do novo coronavírus no organismo das pessoas dependendo do tipo sanguíneo delas. Malga conclusivo até o momento em relação aos tipos sanguíneos, houve sim, algumas conjecturas e alguns estudos que tem Paulo relacionados o seguinte, que eu tipo lá do RH positivo do que o tipo a de sangue com RH positivo fosse mais propenso não a ter convide mais a desenvolver formas graves de doença. Isso até onde eu sei que esse momento não tem nenhuma demonstração consistente em relação a essa informação não tinha muita gente eu conheço muita gente que eu sou a positivo, inclusive, não tive forma grave de couve dezanove, então assim, seria, por exemplo, uma informação é complementar, mas não há nada conclusivo em relação a isso e é muito frequente, inclusive que hoje os pacientes e aos pais, nós pedimos exame de sangue, eles pedem para que nós estamos também o seu tipo sanguíneo para aqueles que eventualmente não saiba. Este não é tão relevante na verdade, o que é relevante, né, que eu não acaba de ser de comum para muito bem dizer que nós fazermos o diagnóstico de maneira correta, levamos em conta os fatores de risco que já estão demonstrado não fatores de risco para adquirir doença, mas sim para concluírem o mais grave pode virtualmente, com, por exemplo, alguém isso pode a idade, outras comunidade de estados e a cem milhas, sem dúvida nenhuma que são os problemas relacionados a população de que algumas pessoas têm conhecidos e este pode me parece o mais importante, elas são os tipos sanguíneos, nós precisaremos ainda ter estudos que demonstrem essa consistência sem habilidade de adquirir e mais do que isso probabilidade de desenvolver em formas severas, essa informação que nós temos a por momentos assim. Doutor Osmar, a saiu no estudo essa semana e do Hospital Infantil de Chicago, que descobriu que crianças pequenas têm carga mais alta de coronavírus do que a dor dos isso não significa necessariamente que o estudo um fala isso que as crianças são mais transmissíveis transmissores da doença e do que os adultos, no entanto, há um grande debate com relação ao retorno as aulas, especialmente de crianças pequenas, os pais precisam trabalhar não podem ficar com a criança em casa ainda se sabe muito pouco com relação houve de crianças. Bonner, Sicília dá até conversando com isso, quando é escovar é autoridade no assunto aí e a gente estava com a pista é. Acho que a gente vai ter muita dificuldade para que a escola desfila na casa como um elemento é um passo à frente do Oscar traz a equipe de tapas enquanto não tiver uma assim a gente não vai ter cem por cento, mas se ficar cem por cento de I de segurança de jeito nenhum e a criança em um lar, mas é tanta que eles se sintam como ele isso é uma das outras coisas que a gente também pondera, mas assim e não terá os outros países que abriram as escolas e tiveram que dar um passo atrás e que já foram recentemente, o assim que entrou aos Estados Unidos que as mentais e isso cresce a quitar os órgãos também e que ele vírus é muito importante quando a gente não terá assim não a gente vai ter que contar com máximas que que é medidas e m mas realmente segurança cem por cento, hoje, a gente não vai ter o bom e talvez um time duro nos em pequenas, que também tem várias partes do Brasil diferentes, algumas partes da rua há alguns dias, a menos que se sente talvez seja mais se o e o destaque ainda para começar a subir e o jeito nenhum a rede, mas a gente vai ter que se tem que aprender em todo o dia também, mais uma vez mais do que a gente aprende tudo de e. Voltaram Mara, né. Grife de hoje está voltada Margarete do como pena ou lojista, agradeço muito a participação das duas aqui nessa cobertura especial de domingo da GloboNews viu uma boa noite. Eu queria explicar realmente se entregar esse leva noite Mara, boa noite.

FOLHA DE S.PAULO/SÃO PAULO | GERAL
Data Veiculação: 02/08/2020 às 03h00

FOLHA DE S.PAULO *** DOMINGO, 2 DE AGOSTO DE 2020 A7 HOSPITAL SÍRIO-LIBANÊS APRESENTA EstúdioFOLHA; projetos patrocinados Sírio-Libanês amplia trabalho educativo em prol de retomada segura às atividades Medidas adotadas e divulgadas pelo hospital protegem colaboradores, corpo clínico, pacientes e comunidade Proteger, proteger, proteger. Esse tem sido o mantra do o hospital Sírio-Libanês desde a eclosão dos primeiros casos de COVID-19. Prova disso é o intenso trabalho de educação continuada, com reforço das medidas de segurança, que o hospital tem promovido junto à equipe de colaboradores, corpo clínico, pacientes e comunidade em geral. “Tudo começa com a nossa equipe. As principais medidas são a lestagem e a recomendação para os profissionais de saúde de que qualquer pessoa sintomática deve se identificar e não trabalhar. área da saúde, quem está trabalhando e está 11a ativa precisa ser testado” afirma Fernando Ganem, diretor de Governança Clínica do o hospital Sírio-Libanês. Triagem no PA isola casos suspeitos de COVID-19 No Pronto Atendimento do Sírio-Libanês, as entradas foram separadas. tilda uma possui espera, triagem e funcionários próprios. Pacientes com sintomas respiratórios têm entrada específica. A outra entrada é usada por quem não apresenta esses sintomas. “A importância desse fluxo é deixaras pessoas tranquilas. O medo da COVID-19 não pode ser um fator impeditivo pura alguém que precisa de atendimento", diz ('.lnislian Morinaga, gerente médico do Pronto Atendimento do o hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Pacientes com algum sintoma respiratório passam pela triagem e já entram em uma área isolada, que também é dividida para casos de baixa e alta complexidade. ‘O paciente é acomodado em um box ou um quarto, que possui pressão negativa ou janelas abertas. É isolado e acompanhado com todas as medidas de segurança. Assim, essa se torna uma das áreas mais seguras do hospital. Sendo possível, a gente faz todos os exames dentro do quarto ou do box". diz Morinaga. A entrada para pacientes sem sintomas respiratórios também tem recepção própria, sala de espera e triagem. Todos os funcionários usam máscara e há o espaçamento adequado 11a espera. Essa foi a entrada usada por Camila Werneck, 44. c sua filha Ana.is.Ajovem machucou a mão 110 dia 3 de julho e precisou ser examinada por um médico. A mãe se informou antes sobre o fluxo diferenciado e quando chegou ao hospital se sentiu tão segura que aproveitou para tomar a vacina contra a gripe e fazer exames. “Assim que chegamos, fomos direcionadas para a área de pacientes que não tinham suspeita de COVID-19. Fomos atendidas em uma ala totalmente isolada. Fiquei muito segura de estar dentro do hospital mesmo neste momento de pandemia". diz Camila. Para apoiar os profissionais de saúde 110 processo de retomada segura, o hospital criou o programa "Proteger", que conta com rondas nos diversos andares, áreas e unidades da instituição em São Paulo e Brasília, além de um canal de comunicação direto liara sugestões e compartilhamento de experiências. “As rondas são feitas sempre com um olhar de acolhimento, de orientação e de reforço positivo para aqueles que tiverem um comportamento seguro. Assim, vamos criando uma rede, comum cuidando do outro", explica a enfermeira Caria Bernardes Ledo, gerente da área de Qualidade, Desfecho Clínico e Protocolos do Hospital Sírio-Libanês. Outra importante ação do programa foi a elaboração de uma cartilha com dicas de boas práticas para prevenir a transmissão do novo Corona vírus. O objetivo é que, além de adotá-las 110 dia a dia. o profissional do Sírio-Libanês também seja um propagador dessas orientações, compartilhando-as com familiares, amigos e sua comunidade. GUIA PARA UMA “A cartilha contém recomendações que estimulam o distanciamento social, uso correto da máscara e comportamento dentro do refeitório. São orientações para nosso colaborador sobre como se portar dentro e fora do hospital", dizjean Cario Rodriguez Pegas, gerente médico de Segurança e Gestão de Risco do Sírio-Libanês. Um material educativo com orientações para manter um ambiente seguro e de prevenção em consultórios e condomínios médicos também tem sido distribuído ao corpo clínico. "Damos ins- Combine com seus colegas e estabeleça uma rotina de uso dos espaços, para que não ocorra acúmulo de pessoas Mantenha o distanciamento seguro Higienize suas mãos antes de qualquer refeição Não cumprimente com beijos, abraços ou apertos de mãos Mantenha a rotina de / higienizar as mãos / Fique atento ao com água e sabão / novo limite de ou álcool em gel / pessoas dentro com frequência / dos elevadores Inicie a limpeza pelas superfícies mais limpas e depois siga para as mais sujas (por exemplo: tela do computador, teclado, mouse e telefone, respectivamente) Higienize a mesa. objetos e equipamentos ao chegar a seu posto de trabalho. Use desinfetantes aprovados pela Anvisa Se preferir usar escadas e tocar nos corrimãos, não se esqueça de higienizar as mãos Posicione-se em filas e respeite o distanciamento de 1,5 m Link para download da cartilha: https://www.hospitalsinolibanes.org.br/Documents/guia-retomada-segura.pdf Centro Cirúrgico separa totalmente o atendimento “Eu me senti muito segura nas duas ocasiões em que precisei ser internada neste período de pandemia. Tudo é separado e há mil protocolos de segurança para ev itar contágio. Não podemos deixar o pânico nos paralisar, nem a doença se alastrar por medo do coronavírus", diz Maíra LotVieira Micales. 40. Ela é paciente e teve de removera tireóide. Ficou internada 1101 hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, durante três dias em abril. Em julho, voltou a ser internada por um dia para dar sequência ao tratamento. Para garantir que paciente, equipe de enfermagem, fisioterapeutas. nutricionistas e médicos se sintam seguros, o Hospital Sírio-Libanês foitotahncntc segmentado. "Isso só foi possível criando três hospitais dentro do mesmo hospital. É tudo separado. Em cada um desses hospitais há subunidades. Temos unidade de internação, de terapia intensiva e de terapia semi-intensiva para pacientes com COVID-19. e outras para pacientes sem 00VID-19", diz Sérgio Arap, superintendente do Centro Cirúrgico do o hospital Sírio-Libanês. em São Paulo. No Centro Cirúrgico foram criadas duas áreas. Uma para pacientes comprovadamente sem COVID-19 e uma para paciente com SARS-C0V-2 ou suspeita de infecção. “O protocolo dentro do centro cirúrgico é o mesmo, com todos os cuidados de EPIS (Equipamentos de Proteção Individual) para todo mundo que está 11a sala e o menor número de pessoas possível. Quanto aos materiais, só entra 11a sala o que será utilizado. Assim, garantimos a segurança". afirma Arap. A segurança psicológica é outra preocupação. “A ênfase é dar segurança física e estrutural. para evitara contaminação, e a psicológica, porque as pessoas precisam dessa segurança também", diz Felipe Duarte, coordenador de práticas médicas do Hospital Sírio-Libanês. “Usamos medidas de precaução há muitos anos. Mas. em situações como a atual, é sempre muito importante reforçara importância daquilo que a gente já conhece e prática", diz Duarte. truções para os médicos e suas secretárias, e também para os condomínios 110 entorno do nosso Complexo Hospitalar da Bela Vista, em São Paulo, onde está a maioria dos consultórios do nosso corpo clínico. Os treinamentos reforçam as medidas de proteção e as melhores práticas que gerem segurança tanto para os funcionários quanto liara os usuários dos consultórios e condomínios. São orientações que vão desde o atendimento com intervalos maiores, passando por recomendações como não disponibilizar revistas ou brinquedos 11a sala de espera, ofertar copos descartáveis e outras regras e boas práticas que diminuem as chances de contaminação pela Covid-19", diz Ganem. Reabertura de consultórios traz a volta dos exames eletivos no começo da pandemia, tudo o que era eletivo foi suspenso, inclusive exames que exigiam contato físico. “Métodos como teste ergométrico ou ecocardiograma transesofágico foram interrompidos nesse período. Tudo o que não era prioritário foi suspenso temporariamente". diz Roberta Saretta, gerente médica do Centni de Cardiologia do Hospital Sírio-Libanês. Grande parte dos pacientes, principalmcnte os que moram fora de São Paulo, linha receio de sair de casa. então, a tele consulta e a tele medicina tiveram um papel importante, segundo Roberta. “Agora, a gente percebe que eles estão se sentindo mais seguros para procurar assistência presencial, o que para o médico é melhor, porque temo contato com o paciente, consegue examiná-lo. ter uma ideia objetiva do que está acontecendo. Isso não acontece virtualmente", diz. Com os consultórios médicos sendo reabertos e uma estrutura de exames eletivos tohümenle reorganizada no hospital para este momento, os pacientes começam a voltar. Os fluxos para o manejo dos exames eletivos e de urgência são distintos. "Pacientes que não têm nenhum sintoma vão para um fluxo não (X)VID-i9. Assim, não existe a possibilidade de ele fazer uma lomograíia, por exemplo, na sequência deum paciente sintomático", explica Saretta. O empresário Miguel Giainiini, paciente cardiológico, passou por exames 110 Sírio-libanês de São Paulo, em julho. Como um deles apresentou alteração, ficou intemadouma semana. “A impressão é que estamos mais seguros lá dentro doque aqui fora", diz Álvaro Ferriolli, sócio e amigo de Giannini, e que o visitou durante esse período. “Não é uma sensação de segurança. é uma certeza. Dentro do hospital é fantástico, uma verdadeira ‘ilha da fantasia'. Tudo é meliculosainente pensado." EstúdioFOLHA i projetos patrocinados Ateliê de produção de conteúdo para estratégia de marcas e mercado publicitário em todas as plataformas