Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal
Logon

Medicina Avançada - EspecialidadesReumatologiaVasculite

 

Reumatologia

​​​​​Vasculite

As vasculites são doenças causadas por inflamação dos vasos sanguíneos do organismo. Nestas doenças, a parede dos vasos sanguíneos é invadida por células do sistema imunológico, o que pode provocar estenose (estreitamento), oclusão (fechamento), formação de aneurismas e/ou hemorragias.

Podemos classificar as vasculites em primárias e secundárias. As vasculites primárias são doenças raras, de causa pouco conhecida, que ocorrem quando o vaso sanguíneo é o alvo principal da doença. A classificação das vasculites primárias baseia-se no tamanho do vaso acometido (pequenos, médios e grandes vasos). Já as vasculites secundárias são aquelas em que se observa o acometimento dos vasos devido a alguma doença autoimune, infecções, neoplasias, exposição a drogas, dentre outras.

As diferentes vasculites apresentam características próprias e devem ser diagnosticadas corretamente para que o melhor tratamento seja utilizado. Em geral, há suspeita da doença em pacientes que apresentam febre sem causa comprovada, cansaço, dor articular e quadro vascular trombótico (como acidente vascular cerebral, infarto e/ou angina, sem fatores de risco para aterosclerose). Pode ocorrer acometimento de múltiplos órgãos e sistemas como rins, articulações, sistema nervoso central e vias respiratórias.

Principais vasculites

  • Doença de Behcet – Pode afetar vasos de qualquer tamanho. Caracteriza-se por úlceras na boca e nos genitais e por acometimento visual. Pacientes com este tipo de vasculite, geralmente, são jovens entre 20 e 30 anos.
  • Doença de Buerger – Também conhecida com tromboangeite obliterante. Afeta vasos das mãos e pés e é relacionada com o hábito de fumar.
  • Vasculite do sistema nervoso central – Os sintomas mais comuns são: dor de cabeça, tontura, confusão, alteração de personalidade, podendo, inclusive, levar a acidente vascular cerebral (AVC).
  • Síndrome de Churg Strauss – É uma vasculite que envolve inflamação de pequenos e médios vasos. Caracteriza-se por asma e predomínio de eosinófilos (células brancas do sangue). Pode acometer seios de face, pulmões, coração e outros órgãos.
  • Crioglobulinemia – O paciente costuma apresentar vermelhidão (rash) nas pernas e dor articular. A crioglobulinemia tipo 1 pode estar associada a linfomas, enquanto a crioglobulinemia tipo 2 frequentemente se associa a hepatite por vírus C.
  • Arterite de células gigantes ou arterite temporal – Os sintomas mais comuns são: dor de cabeça, alteração visual, febre, dor no ombro e mandíbula. Acomete, em geral, pacientes acima dos 50 anos.
  • Púrpura de Henoch-Shönlein – Afeta a pele, os rins, as articulações e o estômago. Pode ocorrer em qualquer idade, mas é comum em crianças, frequentemente, associada a infecções no sistema respiratório.
  • Vasculite de hipersensibilidade – É descrita como vasculite por reação ao uso de drogas (medicamentos). Apresenta lesões na pele na forma de pontos vermelhos e a biópsia de pele acometida revela uma vasculite leucocitoclástica.
  • Doença de Kawasaki – Vasculite rara. Em geral, acomete crianças abaixo de cinco anos. Os sintomas são: febre, olhos e lábios vermelhos, vermelhidão nas pernas (rash), edema de mãos e pés e aparecimento de gânglios. Pode comprometer os vasos do coração.
  • Poliangeite microscópica – Afeta principalmente os rins, a pele e os nervos, podendo alterar a sensibilidade.
  • Poliarterite nodosa – Comum em pessoas entre os 30 e 40 anos, pode afetar a pele, os rins e os nervos. Em alguns casos, pode estar associada ao vírus da hepatite B.
  • Polimialgia reumática – Provoca fraqueza dos músculos dos ombros e quadris, estando associada à vasculite de células gigantes.
  • Arterite de Takayasu – Afeta a aorta (a maior artéria do corpo) e os ramos de artérias que levam sangue para os órgãos. A doença é mais frequente em mulheres jovens, asiáticas, com menos de 40 anos, mas tem sido descrita cada vez mais em outras populações.
  • Vasculite granulomatosa de Wegener – É muito comum que seu início seja com sintomas no trato respiratório superior, como nariz, seios da face e garganta. Os pulmões e rins também podem ser afetados. Ocorre predominantemente em adultos jovens.

Dra. Patrícia Barinotti – CRM (SP): 65.498.