Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

 Doenças da Bexiga e Uretra

Bexiga Neurogencia

As bases do tratamento de distúrbios neurogênicos do trato urinário inferior são:

  • Proteção do aparelho urinário superior
  • Melhora na continência urinária
  • Melhora na qualidade de vida
  • Restaurar a função normal do aparelho urinário inferior
  • Considerar o contexto deficiência do paciente, custo beneficio, dificuldade técnica e possíveis complicações para escolha do método.

Orientações para tratamento conservador

  • Proteger aparelho urinário superior
  • Tratamento de hiperatividade detrusora com anticolinérgicos
  • Reabilitação e neuromodulação em casos selecionados
  • Coletores externos podem reduzir a incontinência para uma situação socialmente aceitável
  • Qualquer método de micção assistida deve ser utilizado com grande cautela

Orientações para tratamento conservador não invasivo

  • Cateterismo intermitente é o tratamento de escolha para o paciente que não consegue esvaziar a bexiga
  • Os pacientes devem ser bem instruídos sobre a técnica e riscos inerentes ao cateterismo intermitente
  • Técnica asséptica é a técnica de escolha
  • Tamanho do cateter 12 -14 Fr.
  • Frequência de cateterismo 4 – 6 vezes ao dia
  • Volume vesical menor que 400 ml e resíduo pós miccional baixo
  • Cateteres supra púbicos em caso de exceção, sob controle rigoroso e com troca frequente dos cateteres (silicone cada 2 -4 semanas e látex cada 1 – 2 semanas)
  • Auto cateterismo intermitente (descrito acima)
  • Injeção de toxina botulínica é a droga mais promissora para uso intravesical e redução de hiperatividade
  • Eletro estimulação intravesical pode ser útil em alguns pacientes
  • Esfincterotomia a laser é a técnica padrão para tratamento da dissinergia. Para pacientes sem condições cirúrgicas a esfincterotomia por toxina botulínica poderia ser realizada. Stents uretrais apresentam índice elevado de complicações
  • Plugs uretrais têm eficácia pequena a longo prazo
​​​