Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

 Câncer de Pulmão

O que é câncer de pulmão?

O câncer de pulmão abrange um grupo de tumores malignos localizados no pulmão e é causa mais comum de óbitos por câncer. Dos 27 mil novos casos diagnosticados ao ano no Brasil, cerca de 94% estão ligados à prática do tabagismo.


Como é diagnosticado o câncer de pulmão?

À semelhança dos outros tumores, o câncer de pulmão pode crescer por muitos anos sem nenhum sintoma específico. No entanto tosse, rouquidão, presença de sangue no catarro, falta de ar e dor torácica podem ser sinais da doença e devem ser avaliados por um médico. Por meio da radiografia de tórax, é possível confirmar ou não a existência da lesão. Já a tomografia de tórax caracteriza com precisão o tamanho, a localização e as características do tumor. No NAT, aparelhos de tomografia de última geração, capazes de detectar mínimas alterações, estão à disposição dos radiologistas. A tecnologia, neste caso, está a serviço da saúde, permitindo que os médicos descubram a natureza da doença e definam a extensão do problema.

Somente com a biópsia é possível fazer a confirmação diagnóstica do tumor. A broncoscopia, a biópsia por punção com anestesia local e até mesmo a cirurgia podem ser necessárias para determinar em quais dos tipos se enquadra o câncer de pulmão (existem mais de cinco tipos).


Estágios da doença

O dado mais importante na evolução do paciente com câncer de pulmão é o estágio da doença, isto é, qual a sua extensão. Disto depende a estratégia do tratamento, as chances de cura e de sobrevida a longo prazo. No NAT, não se toma nenhuma decisão terapêutica sem antes realizar um mapeamento completo e detalhado da doença. Esta conduta evita erros de indicação e tratamentos desnecessários. O emprego de técnicas modernas como a tomografia, a ressonância magnética e o PET-CT, aliados à análise dos especialistas dedicados aos tumores torácicos, aumenta sensivelmente nossa capacidade de definir, com maior exatidão, os próximos passos no manejo de cada doente, individualmente.


Como se trata câncer de pulmão?

O NAT possui uma junta de especialistas reconhecidos nacional e internacionalmente, dedicados ao tratamento do câncer de pulmão. Cirurgiões, oncologistas clínicos (quimioterapeutas), radioterapeutas, radiologistas, patologistas, clínicos, entre outros, reúnem-se constantemente para discutir e decidir a melhor estratégia individualizada para cada caso, possibilitando assim as melhores chances de cura e de controle da doença. Como norma, o NAT adotou as recomendações do NCCN (National Comprehensive Cancer Network), que orienta os melhores centros oncológicos dos Estados Unidos, como o Memorial Sloan-Ketterin, de Nova Iorque, e o MD Anderson, do Texas. A constante modernização dos equipamentos de radioterapia do Hospital Sírio-Libanês permite resultados semelhantes aos melhores centros do mundo.

Dependendo do estágio da doença, serão indicados tratamentos específicos ou associados. São eles: cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Para pacientes com tumores precoces, as chances de cura com cirurgia podem ultrapassar os 80%, podendo chegar a 90% em alguns casos. Por outro lado, quanto mais avançada for a doença, mais importantes se tornam os tratamentos associados (quimioterapia e radioterapia), a estratégia adotada e a individualização dos pacientes.


Prevenção e detecção precoce

Estudos científicos confirmam a prevenção e a detecção precoce como as ações mais importantes para evitar a morte por câncer de pulmão. No NAT, grupos especializados e multiprofissionais trabalham, por exemplo, na luta contra o tabagismo, auxiliando os fumantes a abandonar o cigarro. Os resultados obtidos até então muito encorajadores, com mais de 60% das pessoas em total abstinência. Ao mesmo tempo, clínicos e radiologistas do NAT estabeleceram rotinas para aumentar as chances de detectar tumores de pulmão em fase muito precoce, à semelhança do câncer de mama, conseguindo assim as maiores taxas de cura com tratamentos menos agressivos.


Pesquisas

O NAT, apoiado pelo Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês, iniciou vários estudos clínicos, nacionais e internacionais, para a pesquisa de novos tratamentos (quimioterapia e imunoterapia) no sentido de melhorar ainda mais os resultados obtidos hoje.


Para agendamento de consultas e mais informações, ligue para o telefone (11) 3155-0854, das 8h às 18h, de segunda à sexta-feira.
​​​