Comando para Ignorar Faixa de Opções
Ir para o conteúdo principal

 Recomendações de nutrientes nas doenças hepáticas

Em 1997, a Sociedade Americana de Nutrição Clínica e Metabolismo publicou algumas recomendações em adultos para a doença hepática e seu tratamento:

Tabela 3 - Necessidades nutricionais em macronutrientes no pré e pós-transplante hepático5

Estágio da doença Estado Nutricional Recomendação calórica Recomendação proteica Recomendação glicídica Recomendação lipídica
Pré-transplante Eutrofia GEB + 20% ou 30 a 35 Kcal/Kg/dia*

Hepatopatia compensada(0,8 a 1,0 g/Kg*)

Hepatopatia descompensada(1,5 a 2,0 g/Kg*)

Sem referência de hepatopatia(1,2 a 1,75 g/Kg*)

Encefalopatia hepática(0,6 a 1,0 g/Kg*)

Intolerância à proteína(Aminoácidos Ramificados)

Sem restrição (dieta rica)

Restrição apenas na intolerância à glicose e Diabetes

20 a 40%
das Calorias Totais
Pós-transplante imediato*** Eutrofia ​GEB + 15% a 30% ou 35 Kcal/Kg/dia* 1,2 a 2,0 g/Kg* até o pós-transplante tardio 50 a 80% das Calorias Totais 20 a 30% das Calorias Totais
Pós-transplante imediato*** Desnutrição GEB + 50% a 75% ou 35 a 45 Kcal/Kg/dia* 1,2 a 2,0 g/Kg* até o pós-transplante tardio 50 a 80% das Calorias Totais 20 a 30% das Calorias Totais
Pós-transplante tardio todos GEB + 10% a 30% ou 30 a 35 Kcal/Kg/dia** 1,0 g/Kg** 50 a 70% das Calorias Totais 30% das Calorias Totais com redução de colesterol

GEB= Gasto Energético basal *Peso seco ou ideal **Peso atual ***Até 2 meses de pós operatórios

Tabela 4 - Necessidades nutricionais em micronutrientes e líquidos no pré e pós-transplante hepático5

Nutrientes Pré-transplante Pós-transplante imediato Pós-transplante tardio
Sódio 40 a 60 mEq/dia segundo retenção de fluidos 2 a 4 g/dia 2 a 4 g/dia
Cálcio 800 a 1200 mg/dia 800 a 1200 mg/dia
Estrogênios? Vitamina D?
1000 a 1500 mg/dia
Estrogênios? Vitamina D?
Potássio
Magnésio
Zinco
Cobre
Manganês Fósforo
Vitamina A
Controle no uso de diuréticos
Medir níveis séricos Suplementar com alimentos fontes
Recomendações da RDA
Medir níveis séricos Suplementar com alimentos fontes
Recomendações da RDA
Medir níveis séricos
Suplementar com alimentos fontes
Recomendações da RDA
Vitamina D 50.000 UI/dia (má-absorção?) Recomendações da RDA Recomendações da RDA
Vitamina E 400 UI/dia (má-absorção?) Recomendações da RDA Recomendações da RDA
Água livre Ascite? Hiponatremia?
1000 a 1500 mL/dia
Ascite? Hiponatremia?
1000 a 1500 mL/dia
Ascite? Hiponatremia? 1000 a 1500 mL/dia


Tabela 5 - Efeitos nutricionais dos imunossupressores e sua correção5

Droga Efeitos metabólicos Conduta nutricional
Ciclosporina Hiperlipidemia
Hiperglicemia
Hipercalemia
  Hipomagnesemia  
     Lipídeos e Carboidratos simples
     Restrição de Potássio
     Suplementar Magnésio
Glicocorticoides > Catabolismo
< Cicatrização
Hiperlipidemia
Hiperglicemia
Retenção de Sódio
Hiperfagia
Hipercalciúria
     Ingestão de proteínas
     Lipídeos e Carboidratos simples
     Ingestão de Sódio
     Ingestão de Cálcio ou suplementação
Azatioprina
OKT3
Micofenolato de Mofetil
Tacrolimus
Anorexia
Náusea/Vômitos
Dor de garganta
Paladar alterado
Diarréia
Hiperglicemia
Hipercalemia
     Ajuste dietético individualizado
     Monitorar variedade e sabores da dieta
     Ajuste do número de refeições/dia
     Hidratação
     Carboidratos simples
     Restrição de Potássio

Outro fator a ser ressaltado no tratamento de pacientes com cirrose é a suplementação com Aminoácidos de Cadeia Ramificada (BCAA's). O uso dos BCAA's em suplementos auxiliaria na minimização do catabolismo proteico em pacientes com depleção muscular. Esta hipótese foi demonstrada por MUTO e colaboradores, 20056, que encontraram com o uso por 2 anos de suplementação um incremento de sobrevida e qualidade de vida em pacientes com cirrose descompensada.

Sendo assim, recomenda-se que o suplemento ou alimento fonte de BCAA's seja ingerido em conjunto a carboidratos de baixo índice glicêmico e preferencialmente à noite, uma vez que se tomado durante o dia, estes podem ser utilizados apenas como fonte energética pelo músculo devido maior atividade física.7

Alimentos com proteína de soja possuem alta concentração de BCAA's e devem ser estimulados para utilização. Cada 100 gramas de proteína de soja contém cerca de 16,6 gramas de BCAA's, ou seja, cerca de 16%. A ingestão de alimentos a base de soja deve estar sempre em conjunto com carboidratos de baixo índice glicêmico.

Segue uma listagem de suplementos nacionais direcionados a hepatopatias:

Tabela 6 - Suplementos nacionais para hepatopatas*

Suplemento Composição % BCAA´s Laboratório
Hepatodiet 1,25 Cal/mL
11% Proteína
67% Carboidratos
22% Lipídeos
38% Support
Fresubin Hepa 1,3 Cal/mL
12% Proteína
55% Carboidratos
33% Lipídeos
44% Fresenius

*Também podem ser utilizados por via enteral

Para crianças de 0 a 12 anos, segundo LOPEZ e colaboradores 2002, as recomendações devem obedecer a seguinte tabela:

Tabela 7 - Necessidades nutricionais em macronutrientes para crianças em encefalopatia crônica5

Recomendação calórica Recomendação protéica Recomendação glicídica Recomendação lipídica
130% a 150% do recomendado pela RDA
Crianças (90 a 100 Kcal/Kg*)
Adolescentes (40 Kcal/Kg*)
Proteína de alto valor biológico: 10 a 15%
Fase inicial da hepatopatia crônica: Crianças (2,5 a 3,0 g/Kg*)
Adolescentes (1,0 a 1,5 g/Kg*)
Encefalopatia:
(0,5 a 1,0 g/Kg*)
50% a 60% do valor calórico total 25 a 30% do valor calórico total

*Peso seco ou ideal





Referências Bibliográficas

PAROLIN, M. B. ZAINA, F. E. LOPES, R. W. Terapia nutricional no transplante hepático. Arq Gastroenterol 2002; V.39: n.2, abr./jun.

MUTO, Y. et al. Effects of branched chain amino acids granules on event-free survival in patients with liver cirrhosis. Clin Gastroenterol Hepatol 2005; 3: 705-713.

HENKEL, A. S. BUCHMAN, A. L. Nutritional support in patients with chronic liver disease. Gastroenterol & Hepatol 2006; V.3: n.4.202-209.

THOMAS, E. L. BRYNES, A. E. HAMILTON, G. PATEL, N. SPONG, A. GOLDIN, R. D. FROST, G. BELL, J. B. TAYLOR-ROBINSON, S.D. Effect of nutritional counseling on hepatic, muscle and adipose tissue fat content and distribution in non-alcoholic fatty liver disease. World J Gastroenterol 2006; 12(36): 5813-5819.